dielson.pickler 13 de janeiro de 2017 at 17:29h

Diretores do Biopark detalham andamento dos projetos

O diretor do Parque Científico e Tecnológico de Biociências (Biopak), Antônio Torquato, acompanhado da engenheira civil Flávia Baldório Batista, esteve nesta sexta-feira, 13, com o prefeito Lucio de Marchi, e o vice-prefeito João Batista Furlan, na prefeitura. Os dois vieram fazer uma visita de cortesia ao prefeito e ao vice e reforçaram a importância de manter a parceria que já existe com o município para os investimentos necessários ao projeto. Lançado em setembro do ano passado, o Biopark será instalado na saída para Novo Sobradinho, e foi idealizado pelo casal Luiz e Carmem Donaduzzi, sócios proprietários da empresa de medicamentos Prati-Donaduzzi. O complexo será ao maior parque industrial e tecnológico do estado, com área total de 4 milhões de metros quadrados e um investimento de R$ 500 milhões nos próximos cinco anos. A expectativa é de que atraia investidores nacionais e internacionais, cientistas e outros, promovendo um intercâmbio entre a cidade e o mundo e gerando em torno de 30 mil empregos diretos.

As obras já estão sendo iniciadas e começam com a construção do prédio para o funcionamento do curso de Medicina da Universidade Federal do Paraná. Paralelamente estão sendo encaminhados os demais projetos e já foram repassados os terreno para a Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) para a implantação no local do seu segundo campus, e à Hoesp e à Unimed, para a construção de dois hospitais. Os terrenos já foram doados e caberá a estes o encaminhamento dos projetos para a construção de suas respectivas sedes.

Já para a Universidade Federal do Paraná, os empresários também vão construir e doar o prédio, que terá uma área construída de 9 mil metros quadrados, dividida em dois blocos de três pavimentos cada. A obra já foi iniciada e a previsão de conclusão é no primeiro semestre de 2018. “É uma obra que vai demandar dois anos de construção e vamos priorizar a mão de obra e equipamentos de Toledo”, informou Flávia, ressaltando que mesmo com as reclamações existentes com relação a emprego, a empresa está encontrando dificuldades de mão de obra. Segundo ela, tem vagas abertas para pedreiro e servente. Interessados devem deixar currículo no setor de Recursos Humanos da Prati-Donaduzzi. Concluída a obra, a UFPR transfere para o local o funcionamento do curso, que utiliza atualmente instalações cedidas pelo município na antiga sede da Secretaria de Educação.

O Biopark também concentra esforços no momento para a atração de uma empresa âncora de grande porte e no encaminhamento dos processos para o desmembramento de áreas visando a construção de residenciais. Serão ofertados 4 mil metros quadrados em lotes de 250 a 1000 metros quadrados.

Lucio e Tita destacaram a importância deste empreendimento para o município, que deverá colocar a cidade no cenário nacional e internacional, além da geração de renda e novos empregos no município. Segundo eles, o município está à disposição e é parceiro no projeto, dentro das possibilidades da administração e no que a legislação permite. Eles também ressaltaram o espírito empreendedor do casal Luiz e Carmem Donaduzzi, que transformaram uma empresa familiar de pequeno porte em um gigante no setor de medicamentos no município, ao longo dos últimos anos.