comunicacao.ricardo 31 de janeiro de 2014 at 17:48h

DNIT e empresários se reúnem para discutir ações na rodovia 163

Na sexta-feira (31) o prefeito Beto Lunitti se reuniu com o engenheiro do Departamento Nacional de Infraestrutura de Trasportes (DNIT), Adriano Odilon, e os empresários que possuem investimentos nas margens da BR-163, que liga Toledo à Marechal Cândido Rondon. O objetivo do encontro foi apresentar aos empresários os pré-projetos da duplicação da via e da construção de uma via marginal. Este foi o segundo encontro entre o DNIT e os empresários para discutir essa questão.

Conforme o prefeito Beto Lunitti, nas conversas entre as entidades está se buscando o ideal, que atenda a expectativa de aproveitar o fluxo de veículos na via no aspecto de comercialização de produtos. “Esta via é uma ferramenta de suprimento fundamental para o escoamento de safras para a região e principalmente para o município de Toledo, por isso estamos coordenando esse diálogo para que dentro do que é a normativa técnica se encontre a melhor solução para que esses empreendedores e os que virem poderem ter qualidade e segurança para seus investimentos”.

Beto ressaltou que ainda há divergências, mas que elas serão resolvidas. “Há uma preocupação, pois os investimentos já estão acontecendo e alguns praticamente prontos. São milhões de reais que são investidos e cremos que haja uma solução. No que depender de nós como gestão pública, faremos o possível para coordenar o diálogo entre DNIT, empreendedores e prefeitura”, afirmou.

O engenheiro do DNIT, Adriano Odilon, afirmou que há um prazo para licitação e execução do projeto e a expectativa é que em fevereiro as ações sejam implantadas apesar das complicações.  “Foram encontradas divergências devido a grande quantidade de indústrias em alguns pontos da via. Sendo assim, o DNIT junto com a Prefeitura, está tentando solucionar os problemas quanto a esses locais”. Adriano também confirmou que a intenção é que a rodovia seja feita atendendo os usuários e que ela seja segura e pertinente todos os lindeiros.

Para o empresário da I Riedi, Tarcísio Hendges, o que se espera é que a duplicação da via e a construção das marginais atenda a necessidade de todos os usuários e lindeiros da rodovia para que todos sejam beneficiados. “Com isso se almeja um progresso com segurança e que não atenda apenas uma fatia e sim todos que façam parte da rodovia e os que vão investir em indústria e comércio. Então o projeto que for implantado tem que ser projetado para que atenda a contendo a todos”, ressaltou.