suzi.lira 08 de novembro de 2018 at 17:22h

IV Encontro Municipal da Socioeducação reuniu profissionais da Rede Socioassistencial

Nesta quinta-feira (8) no Centro Cultural Ondy Hélio Niederauer na Vila Pioneiro, foi realizado o IV Encontro Municipal da Socioeducação. O tema do encontro foi  “Parâmetros para qualificação do Atendimento Socioeducativo em Meio Aberto”. O momento contou com a presença do o juiz de direito da Vara da Infância e da Juventude da Comarca de Toledo, Rodrigo Rodrigues Dias e a Promotora de Justiça, Katia Kruger, ambos de Toledo. A palestra foi conduzida pela psicóloga de Londrina, Aline Pedrosa Fioravante.

 

O tema da palestra no período da manhã foi sobre as adolescências na sociedade contemporânea: categorias de análise histórico-social, processos identificatórios do adolescer na cultura e as vias multifacetadas da violência. Na parte da tarde a palestra foi sobre as medidas socioeducativas em meio aberto, suas facetas de responsabilização/formação, ambiguidades  e desafios para os operadores. Ambas palestras ministradas pela psicóloga Aline. O evento também contou com debates.

 

A reunião de trabalho teve como objetivo discutir a socioeducação, uma das propostas do Plano Municipal de Atendimento Socioeducativo. A Presidente do Conselho Municipal da Criança e Adolescente (CMDCA), Tatiani Finkler, explica que o intuito do evento da Socioeducação foi para fortalecer a rede de atendimento ao adolescente. “Junto a Aline, que é analista judiciária na área da psicologia do Tribunal de Justiça do Estado, poderemos ampliar a visão de como deve ser trabalho com adolescentes em conflito com a lei, que presta medidas socioeducativas, em meio aberto. Uma discussão importante que deve ser levado a frente”, destaca.

 

Aline ressalta que é importante a articulação da rede, no intuito de representar diferentes políticas públicas com uma oportunidade de alinhamento, de sensibilização e de retomar uma visão integral do trabalho com o adolescente em conflito com a lei, a partir da perspectiva da intersetorialidade, enxergando o sujeito, e as possibilidades de intervenção em conjunto.

“Na prática, temos a própria legislação desde o Estatuto da Criança e do Adolescente e todas as orientações que são pensadas para o atendimento do adolescente em conflito com a lei, onde indicam a necessidade de uma articulação intersetorial. O adolescente no cumprimento da medida socioeducativa, precisa ter um plano de atendimento individualizado, esse plano precisa ser um instrumento que vincule esse adolescente a partir de todas as necessidades e direitos que ele precisa acessar, para que ele possa protagonizar uma trajetória de vida mais compatível com convivência social”, salienta Aline Pedrosa Fioravante.

 

O Juiz Rodrigo Rodrigues Dias, informa que é importante pontuar que mesmo em época de restrição fiscal de crise financeira do país, o município mantém um dia dedicado a discussão aberta, com a rede e com a população, sempre trazendo palestrantes de peso, investindo em dar visibilidade a socioeducação. “É bem importante deixar isso claro, enaltecer a política pública municipal de manter esse dia de socioeducação, tão importante não só para trazer outras pessoas para agregar conhecimento para nossa rede, como fortalecer a rede e dar visibilidade a socioeducação, que se faz implementado o Instituto da Criança e do adolescente”.


Rodrigo ainda cita que “podemos dar visibilidade, pois esses adolescentes são nosso futuro. É isso que viemos debater”, complementa.

 

A Secretária de Assistência Social, Marisa Cardoso, representando o Prefeito Lucio de Marchi, disse sobre a importância da programação. “São políticas que abordam especificamente a socialização dos adolescentes em cumprimento com medidas socioeducativas. Nesse contexto, é necessário falar sobre a qualidade de vida destes adolescentes, e como fazer para que elas sejam melhoradas. E com este tipo de reunião, conseguimos juntar a ideias desses profissionais”, finaliza Marisa.