eliane.torres 13 de setembro de 2017 at 16:40h

Programa Vizinho Vigilante é relançado em Toledo

Foi relançado nesta terça, 12, no auditório da prefeitura de Toledo, o programa Vizinho Vigilante, que busca a parceria dos órgãos públicos e o envolvimento dos moradores para garantir maior segurança á população. O programa prevê a identificação das residências com o nome do programa e a orientação aos moradores de como proceder em caso de atitudes suspeitas, aumentando a segurança da população. “A ideia é estimular que os moradores conheçam os seus vizinhos, os seus hábitos e a partir disso comecem a colaborar, denunciando aos órgãos competentes em caso de atitudes suspeitas”, explica o vereador Wagner Delabio, autor do projeto de lei que criou o programa em  Toledo.

O programa foi instituído em Toledo pela lei R 25, de 13 de abril de 2016, e funciona parcialmente em alguns bairros como no Jardim La Salle, Porto Alegre, Concórdia, Barão II, Anápolis e Gisela. Organizado pela União das Associações de Moradores (UTAM),  o programa conta com a parceria da Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e Secretaria de Segurança Pública, visando garantir maior segurança à população. Representantes de diversos setores, além da administração municipal e dos vereadores, participaram da reunião desta terça-feira, que contou com a presença de representantes de diversas associações de moradores da cidade e do interior, entre outras entidades, além de representantes da prefeitura, da Câmara e dos órgãos de segurança.

“É um programa fantástico, que tem o envolvimento dos órgãos públicos, das associações de moradores e de classes e a parceria com os moradores. Ele proporciona mais segurança às pessoas e consequentemente mais qualidade de vida”, destacou o prefeito Lucio de Marchi, incentivando a Assessoria Comunitária, que faz um trabalho direto com as entidades, a mobilizar as associações de moradores para uma participação mais efetiva. “Se os bandidos perceberem que é mais difícil agir em determinado bairro, não vão mais se aproximar. Isso garante mais qualidade de vida às pessoas”, completou.

O comandante do 19º Batalhão da Polícia Militar, tenente coronel  Marcos Sperka, igualmente destacou a importância do programa e citou um caso em Curitiba que demonstra bem o desconhecimento das pessoas em relação aos seus vizinhos. Uma família foi assaltada e diversos bens foram retirados, na presença dos vizinhos, que não acionaram a polícia, achando ser uma movimentação normal da residência. Ele destacou a importância do envolvimento de todos e a necessidade de um treinamento específico, para que os resultados sejam mais efetivos.

Foram repassadas dicas de segurança e informado que o contato com a Polícia Militar seja rápido e preciso, informando claramente a ocorrência e o endereço, com o tipo de ocorrência (assalto, agressão ou outra) e nome e número da rua, facilitando o acesso rápido. “O ladrão é muito ágil e não podemos perder tempo com detalhes. A informação deve ser rápida e precisa e os detalhes podem ser repassados posteriormente, quando a viatura já estiver em deslocamento”, orienta Sperka.

O comandante destacou também a necessidade do envolvimento direto dos profissionais que atuam na linha de frente, no atendimento direto à população, como a Central de Operações da PM e a Rádio Patrulha, e a participação dos policiais da Cia, possibilitando que o programa tenha continuidade, independente de eventual mudança no comando do Batalhão.

 

Texto: Eliane Cargnelutti Torres