comunicacao.ricardo 30 de abril de 2014 at 15:19h

Revista Exame coloca Toledo entre as 100 melhores cidades brasileiras para investimentos

Toledo foi classificado pela Revista Exame como um dos melhores municípios paranaenses para se investir. No estado, o município ocupa a sexta colocação, atrás de Curitiba (3º), Maringá (15º), Cascavel (34º), São José dos Pinhais (39º) e Londrina (40º). Em nível nacional Toledo aparece no 49º lugar, ficando à frente de Foz do Iguaçu (77º), Ponta Grossa (79º), Umuarama (86º) e Araucária (91º). O Paraná lidera na Região Sul, seguido por Santa Catarina, com oito municípios listados, e o Rio Grande do Sul, com seis. No Paraná, estão à frente de Toledo, apenas cidades com mais de 250 mil habitantes, o que dá ao município um destaque ainda maior.

A avaliação levou em consideração o crescimento populacional entre 2000 e 2010, população economicamente ativa em 2013, Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), e outros dados como o Índice FIRJAN de Gestão Fiscal, geração de empregos formais, empresas com mais de 1000 colaboradores e número de matrículas no ensino superior em relação à população economicamente ativa. Foram avaliadas cidades com mais de 100 mil habitantes, com o objetivo de identificar os municípios, com mais de 100 mil habitantes, com maior potencial para receber novos empreendimentos. O ranking foi construído tomando por base os bons exemplos e resultados dos municípios que investem em infraestrutura e qualidade vida incorporam aos seus indicadores sociais e econômicos.

Toledo garantiu posição de destaque por acumular um dos maiores Índices de Valores Brutos da Produção Agropecuária do Brasil, superior a R$1 bilhão. Toledo também ocupa posição privilegiada em relação a outros índices como 9º lugar paranaense do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), e indicadores da economia como 9º lugar em arrecadação do ICMS, 1º lugar em rebanho suíno do PR, 2º lugar em plantel de frangos do PR, 3º maior produtor de leite do PR, 1º lugar em piscicultura comercial do PR, 3º maior produtor de leite do Paraná, 1º lugar em Parque Industrial da Região Oeste do Paraná. Além de ser considerado pólo universitário com 5 universidades (UNIOESTE, UTFPR, UNIPAR, PUC-PR  e Unopar), e 1 faculdade (Fasul), oferecendo mais de 100 cursos de nível superior para aproximadamente 10 mil universitários. Ainda estão bastante adiantadas às negociações da Administração Municipal para que o município conte com o curso de Medicina, por meio da Universidade Federal do Paraná (UFPR), e o curso de Farmácia Industrial, pela Unioeste.

O resultado positivo na pesquisa foi comemorado pelo secretário do Desenvolvimento Econômico e Tecnológico, de Inovação e Turismo, Edemar Rockenbach, que enalteceu o trabalho realizado pelo Governo Municipal em buscar melhorias para a população toledana. “São diversas ações que tem dado à nossa cidade uma visibilidade muito grande e a projetado em nível nacional”, comentou. Um dos pontos principais é relacionado aos empregos formais. Toledo registrou nos primeiros meses de 2014 – janeiro, fevereiro e março – 6.691 admissões e 5.796 desligamentos segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED). No mesmo período, a Agência do Trabalhador foi responsável pela colocação de 799 pessoas no mercado de trabalho. Para abril, de acordo com o diretor da Agência do Trabalhador (SINE), Gilberto Engelmann, a previsão é que aproximadamente 280 pessoas sejam contratadas.

Outra contribuição importante para que Toledo tivesse este destaque foi o aumento do número de empregos formais. Ao todo, no primeiro trimestre, foram realizados 2.831 atendimentos pela Sala do Empreendedor sendo constituídas 214 novas empresas. Atualmente o município possui 3.282 microempreendedores tendo como principais atividades o comércio de artigos do vestuário, prestação de serviços na construção civil e salões de beleza.

Além da força das micro e pequenas empresas, Toledo possui o maior frigorífico de aves da América Latina, a BRF, e uma das maiores indústrias do ramo farmacêutico do Brasil, a Prati-Donaduzzi, que passa por um processo de expansão, com o apoio da Prefeitura que concedeu uma área de 9.632 metros quadrados à Central Pack, empresa gráfica e de embalagens do grupo. Em contrapartida, a empresa ampliará sua planta em 2.000 metros quadrados ainda em 2014 e mais cinco mil metros quadrados em 2015, com geração de 187 novos empregos até 2020.

Edemar ainda lembrou que a pesquisa analisou números relacionados à gestão fiscal do município. “Neste quesito ocupamos a 4ª colocação no Paraná”. De acordo com secretário da Fazenda, Neuroci Antonio Frizzo, um dos indicadores que deixou o município nesta posição é o superávit de R$ 8 milhões alcançado no último ano. “Em 2013 o custo da dívida ficou em R$ 42 milhões, nesse valor já estão inclusos os recursos vindos da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD). Ao todo, R$ 50 milhões foram arrecadados o que nos dá certa liquidez, ou seja, se todas as dívidas fossem pagas hoje o município ainda teria R$ 8 milhões em caixa.”

Além dos indicadores de gastos com o pessoal, receita própria, liquidez e custo da dívida, que serviram de critério para o índice FIRJAN, Frizzo falou sobre a análise dos investimentos feitos ao longo do mandato da atual administração que alcançaram a nota máxima média entre os quesitos da avaliação. De acordo com o secretário, entre os principais avanços neste quesito estão a melhoria nas infraestruturas rurais como do Programa Rodovias Rurais que garante mais segurança e conforto aos produtores rurais, além da compra de equipamentos em diversas áreas.

Assistência Social, Esporte e Lazer, Educação e Saúde

Investimentos em Saúde, Educação, Assistência Social, Esporte e Lazer também têm mudado a realidade dos toledanos. A partir de 2013 estas áreas receberam uma atenção especial do Governo Municipal. O alinhamento da Secretaria de Assistência Social e Proteção à Família a Política Nacional de Assistência Social trouxe ao município avanços importantes nesta área. Com o fortalecimento das formações, por meio de Programas como o ACESSUAS/Trabalho e o Pronatec, os toledanos tiveram acesso à formação profissional colocando Toledo como o 6ª município paranaense menos dependente de Bolsa/Família. “Estamos tratando a Assistência Social como ela deve ser encarada: um direito do cidadão”, afirmou a secretária de Assistência Social, Ineiva Kreutz Louzada.

O Esporte e o Lazer também é foco da Administração Municipal. Programas como o Idoso em Movimento, que atende a 40 grupos de idosos, com cerca de dois mil atendimentos ao mês, por meio de visitas semanais aos Grupos. O trabalho inclui a realização de aulas de ginástica, dança, modalidades esportivas, gincanas e atividades alusivas as datas comemorativas, assim como, demais ações voltadas à promoção da saúde aos idosos; o RecreAção, no iniciado em 2013 e que já atendeu todas as escolas municipais e passou por todas as comunidades levando alegria e diversão para crianças; e o acompanhamento de aproximadamente 50 modalidades esportivas com o auxílio de professores efetivos, além do apoio as diversas ações do desporto.

Na Educação acontece uma reestruturação completa. Já foram contratados mais de 250 professores para a rede municipal de ensino e a reorganização de turmas permitiu que fossem ampliadas as vagas em Centros Municipais de Educação Infantil (CMEI’s). Atualmente o município conta com 24 CMEI’s e possui mais quatro em construção, sendo um em uma área adquirida pela Prefeitura recentemente. Há previsão também de que sejam edificados mais três por meio de parcerias com o Governo Federal. “No último ano, foram 500 novas vagas e em 2014 já criamos mais 200 vagas e esperamos aumentar esse número, por meio de investimentos em estruturas e contratação de servidores”, frisou a secretária da Educação Tania de Grandi. As escolas municipais também passam por reformas e ampliações visando dar qualidade de vida para professores e alunos. “Várias estruturas que estavam com problemas estão passando por melhorias e duas principalmente, Escolas Municipais Vereador José Pedro Brum (CAIC) e Henrique Brod, receberão intervenções globais”, comentou Tania.

A Saúde, política central de Governo, no ano de 2013, e até abril de 2014, contabilizou avanços importantes. Com foco na Estratégia Saúde da Família (ESF) Toledo iniciou o fortalecimento da Atenção Básica com melhorias em estruturas e contratação de profissionais. Durante o ano, foram inclusos mais 22 médicos, cinco enfermeiros, 16 técnicos de enfermagem e 29 agentes comunitários de saúde (ACS’s). A ampliação da cobertura assistencial de saúde no município continuou em 2014. Em apenas 04 meses houve um aumento de 25 médicos, dos quais 22 vieram por meio do Programa de Valorização dos Profissionais da Atenção Básica (PROVAB) e outros seis através do Programa Federal Mais Médicos.

Além disso, o município promoveu um aumento histórico do atendimento em saúde para a população, com mais de 8 mil novas consultas disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde (UBS’s). A ação é acompanhada pela ampliação de horários em UBS’s estratégicas, como do Jardim Coopagro que passa a atender das 07h às 22h, da Vila Industrial e Jardim Porto Alegre que estenderam o atendimento em seis horas, indo até às 19h, e também com melhorias nos distritos de Vila Nova Novo Sarandi, Novo Sobradinho e no bairro Santa Clara IV. Todas as ações fazem parte do novo foco da saúde, que prevê ainda a reestruturação do Mini Hospital e o funcionamento da Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

Riquezas no setor produtivo

Caracterizado por pequenas propriedades rurais, voltadas à agricultura familiar, Toledo possui no setor agropecuário sua principal riqueza. Com um rebanho suíno de 554,2 mil unidades, 3,2 milhões de aves e 19,5 mil bovinos de leite, o município se destaca na sua produção agropecuária, conquistando, por diversas vezes, o 1º lugar no Valor Bruto da Produção Agropecuária no Paraná.

Mesmo com toda esta produção, Toledo não abre mão das questões ambientais. Um dos projetos tratados com muito carinho pela Administração Municipal é o da implantação de condomínios de agroenergia e a construção de um Programa Municipal de Energias Renováveis – com ênfase em Biogás – que contemplará o incentivo à Geração e Utilização do Biogás e Biometano.

Para tanto, foi constituído um Grupo de Trabalho sobre Energias Renováveis – ênfase em Biogás – de Toledo, o GTER-BIOTOL, tendo com parceiros a Compagas, o Instituto Emater, Parque Tecnológico de Itaipu (PTI) e CIBiogás, além das universidades UNIOESTE, PUCPR e UTFPR. “Toledo tem que produzir, a partir de agora, um ambiente mais propício para os investimento que tragam empregos e geração de renda, com o prisma das novas tecnologias, sem esquecer a qualidade de vida”, pontuou o prefeito.

IDHM

Esta qualidade de vida coloca Toledo no 9º lugar paranaense do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM). O município passou de 0,539 em 1991 para 0,694 em 2000 e alcançou em 2010 o índice de 0,768. O estudo foi elaborado com base nos Censos de 1991, 2000 e 2010 e apresenta o IDHM de todos os 5.565 municípios brasileiros e mais de 180 indicadores de população, educação, habitação, saúde, trabalho, renda e vulnerabilidade.

O município de Toledo teve um incremento do IDHM de 42,49% nas últimas duas décadas. A dimensão que mais cresceu foi a educação (0,274), seguida por longevidade e por renda. No período de 2000 a 2010, a proporção de crianças de 5 a 6 anos na escola cresceu 13,5% e no período de 1991 e 2000, 137,41%. O número de crianças de 11 a 13 anos frequentando os anos finais do ensino fundamental cresceu 11,81% entre 2000 e 2010. Já os jovens, entre 15 e 17 anos, com ensino fundamental completo decresceu 2,52% no período de 2000 a 2010 e a proporção de jovens entre 18 e 20 anos com ensino médio completo cresceu 29,41% entre 2000 e 2010. Outro dado relevante apontado no IDMH da Educação mostra que em 2010, 58,58% da população de 18 anos ou mais de idade tinha completado o ensino fundamental e 40,44% o ensino médio.

Outro indicador positivo do IDHM é em relação à longevidade dos toledanos. Em Toledo, a esperança de vida ao nascer aumentou 7,1 anos nas últimas duas décadas, passando de 69,2 anos em 1991 para 72,9 anos em 2000, e para 76,3 anos em 2010.

Educação Superior

Um dos indicadores da pesquisa da Revista Exame é relacionado à presença de profissionais com curso superior. Em Toledo, atualmente cinco instituições de ensino superior oferecem formação acadêmica. Além disso, duas unidades de ensino à distância complementam as opções para quem busca o terceiro grau. Contando com Campi das Universidades Paranaense (Unipar), Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Pontifícia Universidade Católica (PUC) e Federal Tecnológica do Paraná (UTFPR) e a Faculdade Sul Brasil (FASUL), Toledo ainda possui a sede da Unopar, com formações à distância. Ainda estão bastante adiantadas às negociações para que o município conte com o curso de Medicina, por meio da Universidade Federal do Paraná (UFPR), e o curso de Farmácia Industrial, pela Unioeste.

Um olhar para o futuro

Para o município, os indicativos e a posição de Toledo neste ranking apontam a relevância das políticas que estão sendo implementadas pela atual gestão, com o objetivo de ampliar ao máximo o potencial geográfico, agrícola e o empreendedorismo dos toledanos. “Se nos alinharmos tudo isso com a qualidade de vida e a história de crescimento que Toledo tem, esta avaliação se torna até natural. Todos nós precisamos comemorar isto. Ver o presente, olhar para a história e a partir disso construir o futuro”, comentou o prefeito toledano Beto Lunitti.

Esta visão resultou em articulações buscando a ampliação dos modais de transporte que culminaram com a inclusão de Toledo no Plano Nacional de Aviação Regional, com investimentos no Aeroporto Municipal Luiz Dalcanalle Filho, considerado uma das melhores áreas para pousos e decolagens no Paraná, na duplicação da BR-163 e na possibilidade do município contar com uma estrutura para atendimento ferroviário a partir da construção da Ferrovia Maracaju-Mafra. “Estamos inseridos em projetos que permitem ao nosso município encurtar distâncias com as demais regiões, por meio de uma infraestrutura de transporte privilegiada”. Dentro do município, os investimentos em asfaltamento rural, por meio do Programa Rodovias Rurais – Caminhos para o Desenvolvimento, permite o escoamento da produção em estradas pavimentadas com seis metros de largura e duas pistas de rolamento.

Esta preocupação logística por parte da administração municipal se justifica pela busca na atração de novos negócios e no auxílio às empresas já instaladas. A criação de novos Parques Industriais vem atender a uma demanda de setores que carecem de espaços para ampliação dos negócios. Durante o ano de 2013 foram buscados dados que permitiram a elaboração de uma lei, aprovada pela Câmara Municipal, que regulamentou o Programa de Desenvolvimento Econômico de Toledo (PRODET/Empresa). “Diante deste contexto econômico e olhar para a qualidade de vida, desenvolvemos este projeto. O primeiro passo foi esta lei que incentiva a indústria. Toledo estava carente de um programa que desse segurança para o empreendedor investir no seu negócio e gerar riqueza e renda”, comentou.

Reconhecimento da AMOP

Atuante junto aos 52 municípios do oeste paranaense, a Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (AMOP), parabenizou Toledo pela 49ª colocação no ranking das melhores cidades brasileiras para investimentos. O ofício, assinado pelo presidente da entidade, Marcel Micheletto, diz que o resultado da pesquisa é “fruto da análise dos índices de desenvolvimento econômico, social, infraestrutura e capital humano dos munícipes e certamente o índice elevado do vosso município é fruto dos investimentos e bons trabalhos desenvolvidos por vossa gestão”.