comunicacao.ricardo 24 de junho de 2014 at 19:45h

Toledo conquista novamente 1º lugar em Valor Bruto da Produção Agropecuária no Paraná

Toledo é novamente o maior Valor Bruto da Produção Agropecuária do estado do Paraná, atingindo um índice de R$ 1.586.812.282,00, superando os municípios de Castro e Cascavel, que alcançaram R$ 1.396.885.090,00 e R$ 1.376.444.178,00, respectivamente. A informação foi divulgada durante entrevista coletiva nesta terça-feira (24) no auditório Acary de Oliveira, na Prefeitura. O prefeito Beto Lunitti e os Secretários de Agropecuária, José Augusto de Souza, e da Fazenda, Neuroci Antônio Frizzo, comentaram os resultados do VBP referente ao período de 2012 a 2013. Os dados preliminares apontam um crescimento de 43,58% no VBP da produção Agropecuária para 2013.

O Prefeito Beto Lunitti reafirmou que o Governo tem desenvolvido políticas públicas voltadas ao desenvolvimento do município e que contribuíram também para o incremento da produção agropecuária. “Ações promovidas na área de infraestrutura rural como o Programa Distrito em Ação Mais Produção, das Rodovias Rurais contribuíram para o crescimento do setor, além da Descentralização da Nota do Produtor que facilitou a emissão das notas. Além disso, estamos investindo na implantação do Pólo de Processamento de Pescados no Distrito de Novo Sarandi, Programa de Agricultura de Precisão, aprovamos a Lei de Incentivo à Indústria a Lei de Zoneamento Industrial. Políticas conjugadas que promovem desenvolvimento integrado do nosso município”, afirmou Beto. O prefeito comentou ainda que o aumento do VBP representa, por sua vez, um aumento da receita do município e também do retorno do ICMS do Estado.  Nesse sentido, o secretário da Fazenda, Neuroci Frizzo, relatou que o incremento do VBP e do Valor Adicionado refletirá diretamente no retorno da cota parte do bolo do ICMS do Estado. O prefeito Beto frisou que o aumento do VBP representa um retorno de aproximadamente R$ 11 milhões ao município. Destes, R$ 10,5 milhões serão empregados em Rodovias Rurais. “É investir para produzir ainda mais, incentivando assim quem trabalha no campo, que desenvolve os processos industriais, enfim, toda a cadeia produtiva, para que não seja preciso aplicar reajustes em impostos que ferem diretamente o bolso dos contribuintes”. Frizzo acrescentou que a previsão de retorno de ICMS para 2015 é na ordem de R$ 83 milhões - um acréscimo de 23% em relação a 2014.

O secretário da Fazenda, Neuroci Frizzo, explica que o VBP é um dos valores que compõe o “Valor Adicionado”, índice que demonstra o desenvolvimento econômico dos municípios e do Estado. “Para o ano base de 2013, Toledo acumula até agora Adicionado Total de R$ 3.173.078.211,00, um crescimento de 15,36% em relação a 2012, enquanto que o Estado do Paraná registra um crescimento de 12%. Isso quer dizer que estamos crescendo mais que os outros municípios do Estado”, explica o Secretário da Fazenda, Neuroci Antônio Frizzo. O secretário comentou que os dados podem sofrer alterações ainda. “Essa é uma estimativa dos técnicos da secretaria da Fazenda que acompanham todos os indicadores que compõem o VBP”. Ele explicou ainda que dia 30 de junho sai o índice provisório da cota parte do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) do ano base 2013. O cálculo é feito em 2014, com recebimento para 2015. Julho é o período de impugnações, quando os municípios podem contestar todos os valores divulgados. O resultado definitivo deve sair até o dia primeiro de agosto.

Na avaliação do secretário de Fazenda um dos fatores que contribuíram para o aumento do VBP foi o crescimento da suinocultura e o aumento da média na produção de soja por hectare. “Por isso a importância de preparar os modais de transporte e incentivarmos, por meio das Secretarias de Infraestrutura Rural e Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a promoção de investimentos no campo”, afirmou Frizzo. O prefeito Beto Lunitti também afirmou que é estratégico investir em políticas voltadas para este setor que contribui para o desenvolvimento do município. “Se avaliarmos o retorno do ICMS, 75% vêm do Valor Adicionado e 8% vem do Valor Bruto da Produção, o que representa, somente do setor agropecuário, R$ 11 milhões”, avaliou Beto.

O secretário da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, José Augusto de Souza também comemorou o resultado e disse que a expectativa era que o VBP ficasse próximo de R$ 1,4 bilhão, porém os números ultrapassaram a margem. “É um número fantástico e que nos dá fôlego. No ano passado tivemos uma queda devido a quebra na produção de soja e fomos ultrapassados por Castro. Mas mesmo se tivéssemos uma normalidade no ano passado não chegaríamos a tanto. Realmente houve um crescimento na nossa produção e estamos felizes com isso”, afirmou.

Para o presidente do Sindicato Rural Patronal, Nelson Paludo as propriedades estão melhorando sua produtividade, estão agregando valor na produção, e tudo isso traz renda para o produtor. “No ano passado nós tivemos uma média excelente na produção de soja em nosso município, 60 sacas por hectare, é uma média muito alta, enquanto vemos outros municípios ao redor de Toledo produzindo 50 sacas por hectare ou até menos. Por isso quero parabenizar o prefeito, pois ele está viabilizando agricultura de precisão para os pequenos produtores. É uma medida acertada. Esses são investimentos altos que o produtor não teria condições de arcar sozinho. Melhorou bastante as rodovias rurais. O aumento de renda do produtor acaba refletindo no comércio local e todos ganham”, finalizou.

VBP

O índice mostra a evolução do desempenho das lavouras e da pecuária ao longo do ano e corresponde ao faturamento bruto dentro do estabelecimento.

Calculado com base na produção da safra agrícola e da pecuária, e nos preços recebidos pelos produtores nas principais praças do país, dos 26 maiores produtos agropecuários do Brasil, o valor real da produção, descontada a inflação, é obtido pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), da Fundação Getúlio Vargas (FGV).