comunicacao.fabio 19 de Janeiro de 2022 at 16:53h

Ação no Rio Marreco visa diminuir pernilongos na região da Vila Industrial

Os moradores que residem próximo ao Rio Marreco na região da Vila Industrial de Toledo poderão dormir mais tranquilos nas próximas noites. Acontece que a crise hídrica proporcionou uma baixa significativa do nível do rio e formou poças onde se concentram os insetos alados, mais conhecidos como pernilongos. Uma ação realizada nesta terça-feira (18) pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Ambiental e Saneamento em parceria com o Setor de Endemias deve contribuir para noites menos “picantes”. 

 

O secretário da pasta, Júnior Henrique Pinto, relatou a grande quantidade de reclamações sobre a infestação de pernilongos na região do Rio Marreco no Bairro Industrial. Ele disse que preliminarmente a equipe do Setor de Endemias fez a coleta e análise para saber se era mosquito da dengue, o Aedes aegypti, ou os pernilongos conhecidos da população.

 

Constatando que eram pernilongos, o setor de Endemias voltou a entrar em contato com a SMDAS para providenciar a autorização de uso do produto específico para combater esse inseto no corpo hídrico. Isso só é possível após análise e autorização do Instituto Água e Terra (IAT), antigo IAP. 

 

“Como já temos a autorização prévia até 2023, fomos na sexta-feira [14] e coletamos uma amostra no rio e levamos no setor de Endemias para verificar a eficácia do produto. Constatadas as medidas adequadas e o objetivo esperado, baseado no estudo aprovado pelo IAT, o qual estabelece a área que será aplicada e as quantidades, então fizemos a aplicação do produto onde havia a maior concentração de pernilongos dentro do rio. Agora vamos avaliar os resultados e a necessidade de uma nova aplicação”, explicou Junior. 

 

O próprio secretário auxiliou na aplicação do produto nesta terça-feira, juntamente com a coordenadora do setor de Endemias, Lilian Konig, e demais servidores. Ele reforçou a necessidade da ação em função das constantes reclamações. Também mencionou que as chuvas desta semana, mesmo sendo isoladas, podem contribuir para a solução do problema, já que contribuem para não permanecer água parada nas poças do rio.