suzi.lira 12 de junho de 2019 at 17:13h

Mais de três mil alunos participam da Prova Paraná

 

Toledo fez a adesão à Prova Paraná e os alunos dos 5º anos estarão nesta semana cumprindo a segunda etapa das provas. A terceira etapa está prevista para o mês de setembro., nessa prova a novidade é que os alunos dos 2º anos também estão contemplados.

 

A avaliação dos 2º anos, tem o objetivo de verificar a fluência em leitura dos estudantes em fase de alfabetização e integra, a 2ª edição da Prova Paraná, realizada no período de 11 a 14 de junho, nas escolas municipais que fizeram adesão.

 

Os resultados dessa avaliação possibilitarão a elaboração de estratégias para melhorar o processo de aprendizagem, desde as práticas em sala de aula até o planejamento por parte dos gestores das escolas e das Secretarias de Educação.

 

Para os 5º anos, a Prova Paraná é uma avaliação diagnóstica que tem como intuito fornecer informações sobre o nível de apropriação dos conhecimentos, em relação aos conteúdos e habilidades considerados essenciais para aquela etapa de ensino, além de apoiar professores, equipes gestoras e pedagógicas na organização de ações e estratégias que contribuam para o ensino aprendizagem dos estudantes.

 

Um diferencial é que a Prova para o segundo ano é totalmente por intermédio de aplicativo, o “CAEd Fluência” os alunos devem cumprir três etapas de atividades, a primeira atividade de leitura, refere-se a leitura de palavras dicionarizadas, a segunda atividade de leitura refere-se a leitura de pseudopalavras, ou seja, palavras que não existem e a terceira e última leitura, trata-se de um texto.

 

Enquanto o aluno realiza as leituras, o aplicador grava o áudio da leitura, que é captada pelo aplicativo, depois de avaliar toda a turma, os dados são sincronizados e encaminhados ao banco de dados do CAED/UFJF.

 

Para os alunos dos quintos anos, a prova é composta por 40 questões, sendo 20 de Língua Portuguesa e 20 de Matemática, a correção desta avaliação é feita por intermédio do aplicativo Corrige, que realiza a leitura do Cartão-resposta.

 

“As escolas têm demonstrado muita receptividade pela proposta, de fato é algo novo, porém, passível de aplicabilidade, acredito que os contratempos que tivemos na primeira e na segunda etapa, somente reiteram a necessidade da conectividade, da comunicação e da resolução de problemas, questões com as quais lidamos o tempo todo em sala de aula e na escola. Todas as informações para ajustes dos aplicativos estão sendo relatadas aos responsáveis pelos mesmos e à medida que estes ajustes acontecem, seu acesso para esta e para as próximas etapas ficará mais tranquilo e assertivo”, define a Secretária da Educação, Edna Heloisa Schaeffer.