comunicacao.fabio 14 de Janeiro de 2022 at 14:39h

Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil reconhece situação emergencial em Toledo

O Executivo Municipal publicou, nos primeiros dias do mês de janeiro, um decreto aderindo ao Decreto nº 10.002/2021 do Governo do Estado, que declara todo o Paraná em Situação de Emergência por conta da crise hídrica decorrente da falta de chuvas nos últimos dois anos. Na quarta-feira (12), o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, Alexandre Lucas Alves, assinou a Portaria 109/2022, reconhecendo o estado emergencial em 69 municípios paranaenses, entre eles Toledo. 

 

O documento corrobora com a decisão tomada pela administração do município em reunião com o Conselho Municipal do Desenvolvimento do Agronegócio (CMDAT), colegiado que representa as cadeias produtivas da agropecuária. Em Toledo, os problemas em relação à estiagem começaram a ser percebidos em agosto de 2021, quando foram realizadas as primeiras ações de apoio aos produtores. “Demonstra que estamos alinhados e que a situação é realmente grave”, comentou o prefeito Beto Lunitti.

 

Conscientização - O prefeito toledano lembra que esta é a maior crise hídrica dos últimos 100 anos e a expectativa é que os índices de precipitação pluviométrica só voltem a um nível próximo do normal a partir de maio. “Este é o momento de avançar na discussão e na conscientização para o uso consciente da água, tanto na cidade quanto no interior. Vale também debater e estabelecer políticas para captação, reservação e uso da água das chuvas nas propriedades rurais - estimulando a construção de estruturas para esta finalidade”, pontuou. “Além disso, devemos pensar em criar mecanismos de crédito para que as propriedades rurais possam contar com sistemas autônomos de fornecimento de energia [geradores], especialmente para sistemas de dessedentação e alimentação dos animais nos aviários e chiqueirões”, acrescenta.