jose.seide 30 de Dezembro de 2021 at 16:17h

Toledo debate possibilidade de decreto de Situação de Emergência

A edição de um decreto de Declaração de Situação de Emergência, em razão do agravamento da crise hídrica em Toledo, foi o tema de encontro na tarde desta quarta-feira (29) na Sala de Reuniões do Gabinete do Prefeito. Na ocasião, foi apresentada à Coordenação Municipal da Defesa Civil (Comdec) a solicitação de entidades representativas do agronegócio para que a situação de emergência seja decretada.

 

O tema vem sendo tratado internamente no governo municipal desde a semana anterior, especialmente em contatos com o Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento (Seab). Na reunião, o prefeito Beto Lunitti apresentou um Relatório Técnico do Deral que estima perdas de 55% na safra verão de soja e de 75% na de milho. “Este é um tema relevante, que exige atenção máxima do poder público, mas que deve ser tratado com todo o cuidado e seguindo parâmetros técnicos, para que realmente surjam efeitos necessários”, destaca o prefeito Beto Lunitti.

 

Após as orientações técnicas repassadas pela Defesa Civil, esclarecendo que uma eventual Situação de Emergência precisa ser homologada pela Defesa Civil na esfera estadual, o governo municipal solicitou à Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) informações, dados e previsões sobre a estiagem e seus reflexos, tanto no que diz respeito à agropecuária quanto ao consumo humano. Afinal, um dos elementos técnicos que dá base legal à decretação da Situação de Emergência é exatamente a existência de “dano humano”, isto é, se a seca está afetando de maneira severa o consumo de água pela população.

 

De posse dessas informações oficiais, o tema voltará a debate na próxima semana, em uma reunião ampliada do Conselho Municipal do Desenvolvimento do Agronegócio (CMDAT). “Queremos ouvir os principais atores da agropecuária de nosso município para seguirmos pelo caminho de reduzir os danos ocasionados pela falta de chuva”, destaca Beto.

 

Uso racional

“Enquanto não chove, pedimos para a população, da cidade e do interior, para que use racionalmente a água, evitando desperdícios e, quando possível, fazer o reuso da água. A situação é preocupante e pode ficar ainda pior se cada um não fizer a sua parte”, salienta o prefeito.