jose.seide 29 de Dezembro de 2021 at 12:13h

Unioeste recebe do município área para o Centro Universitário Integrado

Sancionada na última quinta-feira (23) e publicada na edição desta segunda-feira (27) do Órgão Oficial, a Lei “R” nº 122/2021 foi o tema do encontro realizado na manhã de hoje (29) na Sala de Reuniões do Gabinete do Prefeito. A matéria, que procede à desafetação de um imóvel de 3.150 metros quadrados no Jardim Santa Maria e autoriza a doação deste em favor do câmpus de Toledo da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), foi aprovada por unanimidade na última sessão ordinária do Legislativo, na segunda-feira da semana passada.

 

A área, localizada entre as dependências da instituição de ensino superior, do Estádio 14 de Dezembro, do Centro Olímpico Amoldo Bohnen e do Colégio Estadual Presidente Castelo Branco (Premen), será utilizada pela instituição para a construção do Centro Universitário Integrado, espaço onde será construído, entre outras coisas, alojamento que receberá preferencialmente acadêmicos de baixa renda oriundos de municípios distantes. De acordo com a lei aprovada, a desafetação do imóvel do município e a doação à Unioeste o tornaria um bem de uso dominical e ocorreria sob três condições: prazo de três anos colocar o Centro Universitário Integrado em funcionamento; manutenção de uma via de servidão que dá o acesso aos vestiários do estádio via Rua Guaíra; e impossibilidade de venda, doação ou transferência para terceiros - caso a universidade não cumpra o estabelecido, deve devolver a área para o governo municipal.

 

Para o projeto sair do papel, já existem tratativas para que parte dos recursos necessários para a execução da obra seja viabilizada via emenda do deputado federal Zeca Dirceu, que visitou o espaço no último dia 17 a convite do diretor de câmpus, Remi Schorn, ocasião em que o prefeito Beto Lunitti também esteve presente. “É necessário que a área já esteja desafetada e doada em favor da Unioeste para que possamos pleitear recursos da União. Lá no Congresso Nacional estamos fechando o orçamento para o ano que vem e esta obra pode ser beneficiada com uma emenda de R$ 250 mil que tenho direito a fazer indicação”, explicou o parlamentar na ocasião.

 

Remi agradeceu o esforço da administração municipal para a Unioeste começar a tornar realidade uma demanda antiga da comunidade acadêmica. “Ao contrário do que muitos pensam, uma parcela considerável dos alunos precisa muito de auxílio com despesas básicas e esta estrutura contribuirá muito neste sentido, pois permitirá que eles convivam o dia a dia do câmpus, residindo próximo, por exemplo, do ginásio poliesportivo e do restaurante universitário. Além de ajudar na concretização desta demanda, esta lei demonstra a boa vontade do poder público municipal para a educação em nível superior pública, gratuita e de qualidade”, salienta o diretor.

 

Além de destacar o relevante papel desempenhado pela instituição para o desenvolvimento regional, Beto falou sobre a importância dos alojamentos para estudantes vindos de outras cidades. “Enviamos este projeto para a Câmara com a intenção de permitir que aqui permaneçam os ótimos acadêmicos que a Unioeste forma todos os anos. A presença deles é fundamental para o desenvolvimento de Toledo, agora e principalmente no futuro, em um ambiente em que a inovação se tornará o maior ativo que um município pode ter”, destaca o prefeito.

 

Presente ao ato, o líder do governo na Câmara dos Vereadores, Dudu Barbosa, garantiu que ele e seus colegas estão sempre receptivos a projetos que beneficiem a universidade. “Vivemos um momento em que Executivo e Legislativo estão falando a mesma língua em assuntos que impactam positivamente no desenvolvimento de Toledo. Tanto em um poder quanto em outro há pessoas que querem muito fazer a diferença na vida da nossa população e ficamos felizes em termos aprovado esta lei, que favorecerá centenas de estudantes”, pontua.