Covid-19: Toledo começa a vacinar crianças com idade entre 6 meses e 2 anos

Publicado: Qui, 24/11/2022 13:23 | Modificado: Sex, 25/11/2022 17:44
  • A primeira toledana a receber, na manhã desta quinta-feira (24), a Pfizer Baby foi Antonella Pereira Frata, de 2 anos e 11 meses
    A primeira toledana a receber, na manhã desta quinta-feira (24), a Pfizer Baby foi Antonella Pereira Frata, de 2 anos e 11 meses
  • A primeira toledana a receber, na manhã desta quinta-feira (24), a Pfizer Baby foi Antonella Pereira Frata, de 2 anos e 11 meses
    A primeira toledana a receber, na manhã desta quinta-feira (24), a Pfizer Baby foi Antonella Pereira Frata, de 2 anos e 11 meses

 

Toledo deu início, nesta quinta-feira (24), à aplicação de doses pediátricas contra a Covid-19 em pacientes com idade entre 6 meses e 2 anos, 11 meses e 29 dias. A primeira toledana desta faixa etária a receber a Pfizer Baby (imunizante fabricado pela farmacêutica norte-americana em dosagens menores que as administradas em crianças maiores, adolescentes e adultos) foi Antonella Pereira Frata, de 2 anos e 11 meses.

Ela é filha de Braian e Isadora, que estava ansiosa por este momento. “Não víamos a hora da nossa pequena receber a vacina e se proteger da Covid-19”, comenta a mãe.

Os pais de Antonella levaram sua caçula ao Ambulatório Materno Infantil (AMI – Rua Carmelita Nodari, 132, anexo à sede da Secretaria Municipal de Saúde [SMS]), ponto de vacinação (por ora) exclusivo para aplicar doses do imunizante às terças e quintas-feiras das 7h30 às 15h. A princípio, serão atendidas prioritariamente crianças que tenham comorbidades listadas no Ofício Circular 242/2022, da Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde (SVS/MS).

Entre os quadros clínicos citados estão diabetes mellitus, pneumopatias crônicas graves, hipertensão arterial, doenças cardiovasculares, hemoglobinopatias graves, obesidade mórbida, síndrome de Down e cirrose hepática. O esquema vacinal para pacientes com idade entre 6 meses e 2 anos contempla três doses – depois de receber a primeira, a segunda deve ser aplicada em 28 dias e a terceira 56 dias após a anterior.  “As crianças desta faixa etária com comorbidades e que já assistidas pelas unidades de saúde receberão uma declaração que poderá ser retirada pelos pais e responsáveis. Contudo, para aquelas que são atendidas na rede privada ou suplementar, é importante que o médico que as acompanha possa confeccionar este documento”, recomenda a enfermeira da Vigilância Epidemiológica da SMS, Cleunice Sarturi.

A diretora de Vigilância em Saúde da pasta, Juliana Beux Konno, pontua que crianças com idade entre 6 meses e 2 anos que não se enquadram nos quadros descritos no ofício da SVS/MS também podem receber sua dose. “As unidades de saúde também foram orientadas a passar para o AMI uma lista com nome e contato de pais que querem que os filhos desta faixa etária possam ser vacinados. Caso haja doses disponíveis e ninguém mais estiver na fila para receber sua dose, o ambulatório vai entrar em contato com estas pessoas para evitar desperdícios, pois o conteúdo, depois de aberta a embalagem, não resiste a muitas horas. Se os pais aceitarem levar seus filhos antes do fim do expediente, já poderão voltar para casa com eles imunizados”, explica.

Bandeira Verde

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS), de Toledo, publicou nesta quinta-feira (24) o boletim epidemiológico mensal da Covid-19. Conforme foi divulgado no início desta semana, o número de casos da doença tem aumentado de forma significativa nos últimos dias, sobretudo após o feriado prolongado da Proclamação da República, porém a matriz de risco (ainda) se mantém na cor verde, a qual representa “risco muito baixo de contágio” para aqueles que estão com o esquema vacinal completo.

Felizmente, até o momento, o surgimento de novas cepas da variante ômicron pouco ou nada interferiu na questão de internações e óbitos – o último, de uma paciente com 85 anos de idade, foi registrado em 1º de agosto. Entre 23 de outubro e 19 de novembro (semanas epidemiológicas 43, 44, 45 e 46/2022), 103 moradores de Toledo testaram positivo para o novo coronavírus (Sars-Cov-2), média móvel de 3,68 casos por dia, uma crescimento de 4,39% em comparação ao período compreendido no boletim anterior (3,52, entre 2 e 22 de outubro). 

Considerando que 43 pessoas se recuperaram da doença, havia 73 pacientes ativos, isto é, que ainda estavam em tratamento, sendo que um se encontrava internado em leito de enfermaria ou nenhum em unidade de terapia intensiva (UTI). Nas quatro semanas epidemiológicas analisadas, 2.095 pessoas notificadas como suspeitas de terem sido infectadas pelo Sars-Cov-2 realizaram exames, sendo 1.102 na iniciativa privada e 993 pelo Sistema Único de Saúde (SUS) - destes, 992 testes rápidos e 1 RT-PCR, os quais 63 e 0, respectivamente, detectaram a presença do patógeno - 12 RT-PCR estavam em análise até o último sábado (19). 

A taxa de positividade no período foi de 4,92%. Com esses números, Toledo apresenta um total de 48.286 casos confirmados, 47.706 pessoas recuperadas e 507 pacientes que vieram a óbito em virtude da Covid-19. 

Prevenção

A SMS informa que, embora o Decreto Estadual nº 10.596/2022 (ao qual Toledo aderiu integralmente por meio do Decreto nº 414/2022) tenha retirado a obrigatoriedade do uso de máscara em quaisquer ambientes, esta continua sendo recomendada para pessoas que apresentem sintomas gripais ou que estejam em ambientes de saúde que atendem pacientes com síndrome respiratória, o que é o caso das unidades básicas de saúde (UBS) e dos pronto-atendimentos. 

Outro cuidado fundamental é manter em dia as vacinas, tomando as doses no tempo recomendado pelo Ministério da Saúde, evitando, assim, possíveis complicações, hospitalizações e óbitos. Por falar nisso, Toledo, até o momento, aplicou 341.424 doses do imunizante contra o Sars-Cov-2, 1.610 entre 23 de outubro e 19 de novembro.

Em relação às unidades para adultos (12 anos ou mais), a cobertura vacinal em relação ao público-alvo é de 102,41% (1ª dose - total de 124.416 unidades), 92,55% (2ª dose - 112.437 unidades), 56,44% (1ª dose de reforço - 68.571 unidades) e 18,64% (2ª dose de reforço - 20.514 unidades). Quanto às crianças de 3 a 11 anos, esses índices são de 53,28% (1ª dose - 9.257) e 35,76% (2ª dose - 6.213).