Matrículas para selecionados do programa Integralizar começam amanhã (22)

Publicado: Ter, 21/11/2023 15:28
  • Procedimento deve ser realizado por pais e responsáveis na escola onde aluno estudará até 2024 até quinta (23)  das 7h30 às 18h30 (sem intervalo para almoço)
    Procedimento deve ser realizado por pais e responsáveis na escola onde aluno estudará até 2024 até quinta (23) das 7h30 às 18h30 (sem intervalo para almoço)

 

A Secretaria Municipal da Educação (Smed) informa os inscritos no Programa Integralizar que as matrículas para o ano letivo de 2024 iniciam-se amanhã (22). O procedimento deve ser realizado até quinta-feira (23) pelos pais e responsáveis nas escolas para as quais os alunos foram selecionados no horário entre 7h30 e 18h30 (sem intervalo para almoço).

Os documentos necessários para a matrícula são: certidão de nascimento com cópia legível (para conferir com a original); cópia do CPF e RG; declaração de atualização de vacinação fornecida pela Unidade Básica de Saúde; cópia do cartão SUS; cópia de comprovante de endereço atualizada dos últimos 3 meses (Copel ou Sanepar); CPF e RG do pai, da mãe e/ou do responsável legal; e documento de guarda (para alunos com tutor legal).

 

O que é o Integralizar?

É o programa da Smed que vai ampliar o número de vagas no ensino integral a muitas crianças que aguardam esta oportunidade ainda em 2024. Diante do grande potencial de aproveitamento das instituições localizadas nas áreas rurais de Toledo, o governo municipal está preparando os cenários para tornar esse objetivo uma realidade.

A diretora de Ensino da Smed, Dirce Maria Steffens Kulzer, explica que a matrícula para o tempo integral é feita a partir do convite às famílias. “Oferecemos a oportunidade para os alunos estarem em uma estrutura de salas de aula, com equipamentos tecnológicos, e de materiais, também com a disponibilidade de professores para fazer esse atendimento com qualidade igual à oferecida nas escolas da área urbana”, comenta. 

Os critérios para as vagas do integral no interior são os mesmos já usados nas demais escolas que atendem nesse regime. Eles constam na Lei Municipal n.º 2.189/2015 (alterada pela Lei Municipal n.º 2.248/2017), que estabelece a criação de uma uma comissão técnica específica designada para avaliar cada caso.

Dirce reforça que as escolas do interior fornecerão todo o aparato encontrado nas escolas da sede. “Os alunos terão todo o acesso à matriz curricular do regular e mais toda oferta de conteúdos do integral, principalmente na questão do aprimoramento, do aperfeiçoamento da aprendizagem da Língua Portuguesa, da Matemática, mais aulas de Robótica, Computação, atividades de esportes e lazer, e de Língua Estrangeira. A criança terá lanche da manhã, almoço, lanche da tarde e, no final do período da aula, o transporte retornará até as escolas do bairro de onde ela reside”, relata a diretora.