Meio Ambiente e Infra limpam local com descarte irregular de materiais

Publicado: Ter, 26/03/2024 14:41
  • Ação ocorreu na manhã desta terça-feira (25) em área na região do Pinheirinho; além de crime ambiental, prática representa perigo para a saúde pública
    Ação ocorreu na manhã desta terça-feira (25) em área na região do Pinheirinho; além de crime ambiental, prática representa perigo para a saúde pública
  • Ação ocorreu na manhã desta terça-feira (25) em área na região do Pinheirinho; além de crime ambiental, prática representa perigo para a saúde pública
    Ação ocorreu na manhã desta terça-feira (25) em área na região do Pinheirinho; além de crime ambiental, prática representa perigo para a saúde pública
  • Ação ocorreu na manhã desta terça-feira (25) em área na região do Pinheirinho; além de crime ambiental, prática representa perigo para a saúde pública
    Ação ocorreu na manhã desta terça-feira (25) em área na região do Pinheirinho; além de crime ambiental, prática representa perigo para a saúde pública
  • Ação ocorreu na manhã desta terça-feira (25) em área na região do Pinheirinho; além de crime ambiental, prática representa perigo para a saúde pública
    Ação ocorreu na manhã desta terça-feira (25) em área na região do Pinheirinho; além de crime ambiental, prática representa perigo para a saúde pública

 

As secretarias do Meio Ambiente (SMMA) e da Infraestrutura Rural e Urbana e de Serviços Públicos (Infra) realizaram, na manhã desta terça-feira (25), uma ação de limpeza em área localizada na região do Jardim Pinheirinho, mais exatamente no trecho da Rua Navilio Donassolo que fica nas proximidades do Jardim da Mata e do Residencial Nascer do Sol. De acordo com vídeo que circulou no último fim de semana em redes sociais, o local tinha se transformado em um ponto em que várias pessoas estavam realizando o descarte irregular de materiais.

No total, quase 10,7 toneladas de lixo foram recolhidas. A prática representa um risco à saúde pública, pois a presença deste lixo atrai a presença de animais peçonhentos e transmissores de doenças, como o Aedes aegypti, mosquito que é vetor da dengue. 

Além disso, trata-se de crime ambiental cuja autoria está sendo investigada. Quem for flagrado cometendo este delito será autuado e terá de pagar multa de 10 a 1.000 Unidades de Referência de Toledo (URT), o que equivale, em valores atuais, entre R$ 1.012,00 e R$ 101.200,00. 

Segundo o secretário do Meio Ambiente, Junior Henrique Pinto, ação semelhante havia sido feita 10 dias atrás. “Estamos aqui com servidores e maquinários para limpar o que tinha ficado limpo há bem pouco tempo. O que me deixa triste é saber que, a menos de um quilômetro daqui, tem o ecoponto do Santa Clara IV, onde estes materiais podem receber a devida destinação”, comenta. “Também temos a central de recebimentos no Coopagro e recentemente lançamos o serviço de agenda para coleta de resíduos volumosos na área urbana. Portanto, não existe justificativa para as pessoas fazerem isso”, desabafa.

Quem flagrar o descarte irregular de materiais em terrenos baldios ou áreas verdes pode denunciar a situação pelos telefones 153 (Guarda Municipal) ou 156 (Ouvidoria). “É preciso que as pessoas façam vídeos ou fotos que mostrem a placa do carro cujo condutor está incorrendo nesta prática. Com essas informações, podemos, com o apoio da Guarda, identificar os autores e aplicar as sanções previstas em lei”, salienta.