Com aplicativo, pessoas surdas poderão abrir chamado na GM ou Ouvidoria

Publicado: Qui, 22/02/2024 17:21 | Modificado: Sex, 23/02/2024 17:13
  • “Agora será possível incluir denúncias relacionadas a violência contra a mulher, a criança, ao idoso, além de alguma denúncia que seja da Ouvidoria, sobre algum serviço público”
    “Agora será possível incluir denúncias relacionadas a violência contra a mulher, a criança, ao idoso, além de alguma denúncia que seja da Ouvidoria, sobre algum serviço público”

 

Toledo inova mais uma vez ao proporcionar um canal exclusivo onde as pessoas surdas poderão abrir chamados direto com a Guarda Municipal ou com a Ouvidoria Municipal. A ferramenta foi apresentada pela Central de Libras e possibilitou essa comunicação entre o cidadão e a instituição por meio de um intérprete independente da plataforma de tradução simultânea de Libras. Esta ferramenta proporciona a comunicação entre ouvintes e pessoas surdas em tempo real, por videochamada, intermediada por um intérprete de Libras. 

A diretora de Políticas de Cidadania e Desenvolvimento Humano, Daliana Uemura, explica que o aplicativo faz parte dos serviços oferecidos pela Central de Libras. A pessoa surda pode fazer uso dessa ferramenta para fazer denúncias na GM ou Ouvidoria de Toledo. “Você acessa a denúncia pela Central de Libras, eles fazem essa interpretação da denúncia e podem repassar o caso para a Ouvidoria ou para a Guarda Municipal. Nisso conseguimos garantir que a pessoa surda seja atendida para alguma denúncia que ela tenha”. 

Daliana acrescenta que agora quando o aplicativo for aberto, já constarão os dois ícones em evidência, da Ouvidoria e da Guarda Municipal. “Agora será possível incluir denúncias relacionadas a violência contra a mulher surda, a criança, ao idoso, além de alguma denúncia que seja da Ouvidoria, sobre algum serviço público. Então é possível fazer, através da Central, de forma direta ou anônima”, salienta a diretora.

Ela explica que apesar da plataforma já funcionar para traduzir a linguagem de Libras nos diversos serviços oferecidos pela prefeitura, os serviços do 153 (Guarda Municipal) e 156 (Ouvidoria) não eram acessados, pois os intérpretes que trabalham para o serviço do aplicativo estão em outras localidades, como São Paulo por exemplo. Ao efetuarem a ligação nesses números para intermediar o atendimento, eles acessavam os serviços nas cidades onde estavam localizados. Agora, foi possível adaptar o atendimento, pois o Setor de Informática da Prefeitura criou uma “máscara” para direcionar a ligação para o município. 

“Isto garante maior agilidade e segurança para as pessoas surdas, especialmente às mulheres, nas questões de segurança e de denúncias, principalmente, em relação à violência contra as mulheres surdas. Era o passo que ainda faltava no desenvolvimento da plataforma digital inteligente, para que o serviço esteja completo e acessível”, complementa o coordenador de Políticas para Pessoas com Deficiência e presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência. 

De acordo com a Secretária de Desenvolvimento Humano, Rosiany Favareto, ter acesso à comunicação e ao intérprete em Libras empodera as pessoas surdas, permitindo que elas expressem suas necessidades, ideias e opiniões de forma independente. Isso promove sua autonomia e autoestima, contribuindo para uma maior inclusão social e participação ativa na sociedade. 

Essa é mais uma ação inédita adotada por Toledo para a inclusão dos surdos. A plataforma é uma ferramenta online de uso simples e intuitivo. Para ter acesso ao serviço, que é exclusivo para as pessoas surdas, é preciso baixar o aplicativo da Central de Libras e fazer o cadastro de forma simples, (inclui número de telefone e dados pessoais) e já pode usar.