Encontro reuniu aproximadamente 100 pessoas para debater a socioeducação

Publicado: Qui, 19/10/2023 16:55 | Modificado: Sex, 20/10/2023 16:40
  • Encontro reuniu aproximadamente 100 pessoas para debater a socioeducação
    Encontro reuniu aproximadamente 100 pessoas para debater a socioeducação
  • Encontro reuniu aproximadamente 100 pessoas para debater a socioeducação
    Encontro reuniu aproximadamente 100 pessoas para debater a socioeducação
  • Encontro reuniu aproximadamente 100 pessoas para debater a socioeducação
    Encontro reuniu aproximadamente 100 pessoas para debater a socioeducação
  • Encontro reuniu aproximadamente 100 pessoas para debater a socioeducação
    Encontro reuniu aproximadamente 100 pessoas para debater a socioeducação
  • Encontro reuniu aproximadamente 100 pessoas para debater a socioeducação
    Encontro reuniu aproximadamente 100 pessoas para debater a socioeducação

 

O Centro da Juventude Marcio Antonio Bombardelli (CJU/Europa) recebeu, nesta quinta-feira (19), a sétima edição do Encontro Municipal de Socioeducação. O evento tem como objetivo fomentar o diálogo e o aprofundamento dos conhecimentos acerca do tema a partir do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (SINASE). Aproximadamente 100 pessoas, entre profissionais de diversas áreas, além de jovens e adolescentes, participaram do encontro.

A atividade foi promovida pela Secretaria de Políticas para Infância, Juventude, Mulher, Família e Desenvolvimento Humano, em parceria com o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) e a Comissão Intersetorial de Socioeducação. A presidente do CMDCA, Ires Damian Scuzziato, destacou a necessidade de discutir o assunto. “O ato infracional do adolescente geralmente é contra o patrimônio. Os índices de atentados contra a vida praticado nesta faixa etária são baixos, por isso a necessidade de tentar dar condições para que o jovem possa ser reinserir na comunidade”, disse.

Trazer esse adolescente para o convívio social é o papel da socioeducação, por meio da articulação de programas, ações e serviços desenvolvidos. A afirmação foi feita pelo coordenador de Gestão do Sistema Socioeducativo do Estado do Paraná, Alex Sandro da Silva que também parabenizou o município por promover um espaço de discussão do tema. “Primeiro, é preciso fazer um reconhecimento à administração municipal por dar ao tema a importância que ele merece. É possível atingir esse objetivo a partir de práticas socioeducativas focadas na reconstrução e ressignificação de projetos de vida e oportunidades, sem o eximir da responsabilidade do seu ato”, comentou.

O vice-prefeito Ademar Dorfschmidt afirmou que o poder público deve ser proativo e propor políticas para evitar que adolescente acabe cometendo um ato infracional. “É nossa responsabilidade enquanto gestores promover um ambiente propício para nossas crianças crescerem e chegarem à adolescência tendo oportunidades. Temos investido pesado em educação, esporte, saúde e outras políticas”. Ademar ainda reforçou que existe uma rede de proteção bastante consolidada dentro do município. “Estamos protegendo. Quando falhamos, precisamos trabalhar a reinserção e por isso momentos como esse são importantes”, concluiu.

O frente de honra ainda contou com a presença do representante da Câmara Municipal, vereador Beto Scain, do conselheiro tutelar Alan Júnior Júlio e da secretária de Políticas para Infância, Juventude, Mulher, Família e Desenvolvimento Humanos, Rosiany Favareto. Após as falas das autoridades foram realizadas palestras e demais ações conduzidas por profissionais da área de socioeducação.