Meias trocadas marcam Dia Mundial da Síndrome de Down em Toledo

Publicado: Qui, 21/03/2024 17:02 | Modificado: Sex, 22/03/2024 17:29
  • Servidores, alunos, pais, colaboradores, parceiros e várias pessoas aderiram a campanha saindo de casa com os pares de meias trocadas, muitas coloridas e divertidas.
    Servidores, alunos, pais, colaboradores, parceiros e várias pessoas aderiram a campanha saindo de casa com os pares de meias trocadas, muitas coloridas e divertidas.
  • Servidores, alunos, pais, colaboradores, parceiros e várias pessoas aderiram a campanha saindo de casa com os pares de meias trocadas, muitas coloridas e divertidas.
    Servidores, alunos, pais, colaboradores, parceiros e várias pessoas aderiram a campanha saindo de casa com os pares de meias trocadas, muitas coloridas e divertidas.
  • Servidores, alunos, pais, colaboradores, parceiros e várias pessoas aderiram a campanha saindo de casa com os pares de meias trocadas, muitas coloridas e divertidas.
    Servidores, alunos, pais, colaboradores, parceiros e várias pessoas aderiram a campanha saindo de casa com os pares de meias trocadas, muitas coloridas e divertidas.
  • Servidores, alunos, pais, colaboradores, parceiros e várias pessoas aderiram a campanha saindo de casa com os pares de meias trocadas, muitas coloridas e divertidas.
    Servidores, alunos, pais, colaboradores, parceiros e várias pessoas aderiram a campanha saindo de casa com os pares de meias trocadas, muitas coloridas e divertidas.
  • Servidores, alunos, pais, colaboradores, parceiros e várias pessoas aderiram a campanha saindo de casa com os pares de meias trocadas, muitas coloridas e divertidas.
    Servidores, alunos, pais, colaboradores, parceiros e várias pessoas aderiram a campanha saindo de casa com os pares de meias trocadas, muitas coloridas e divertidas.

 

A iniciativa da Secretaria de Políticas para Infância, Juventude, Mulher, Família e Desenvolvimento Humano em replicar uma versão da campanha internacional  “Lots Of Socks”, que significa “Muitas Meias”, surtiu resultado positivo em Toledo. O propósito era fomentar o debate alusivo ao Dia Mundial da Síndrome de Down, comemorado sempre no dia 21 de março. A ideia foi criada porque os cromossomos tem formato de meias e a intenção é conscientizar as pessoas de que ser diferente é divertido. 

Servidores, alunos, pais, colaboradores, parceiros, várias pessoas aderiram a campanha e saíram de casa hoje com os pares de meias trocadas, muitas coloridas e divertidas. No Centro Integrado de Políticas Educacionais (Cipe) Professora Maria Iaschombek Doege, 80 alunos das oficinas de contraturno e aproximadamente 60 dos atendimentos educacionais especializados, além de pais e colaboradores, participaram das ações desde cedo. 

Haller Miguel Hirata Bogoni (5) faz atendimento individualizado e ficou todo entusiasmado quando os coleguinhas do contraturno vieram interagir com ele e fizeram questão de mostrar que aderiram à campanha. A mãe de Haller, a advogada Márcia Mieko Miranda Hirata Bogoni (48), ficou contente com a estratégia da campanha e comentou sobre como é a rotina de uma criança com Down. 

Down na família - “A chegada de uma criança com a síndrome de Down modifica muito a vida da família, então mudou totalmente a rotina. Mas a gente vê que, apesar de ter algumas condições e dificuldades, ele é uma criança normal, ele ri, chora, tem fome e quer brincar, como qualquer outra criança. Então, a condição genética dele não modifica o nosso amor, pelo contrário, a gente acaba trabalhando mais a tolerância e a aceitação. Em um primeiro momento isso é difícil, mas você vai vendo que é uma criança normal. Tem algumas dificuldades, algumas coisas que você tem que trabalhar na fala, no movimento, mas ele está se desenvolvendo aos poucos, só é um tempo diferente. O tempo dele não é igual ao dos outros”, relata a mãe.

Márcia reforça que a família é a primeira que não pode desistir, pois cada criança é diferente. Ela conta que buscam informação na internet para entender como outras famílias lidam com isso. Relutou até entender que a inclusão de Haller nos espaços frequentados por outras crianças é absolutamente normal. “No começo eu relutei, demora um pouco para percebermos que a convivência é fundamental para o desenvolvimento dele, mas a evolução é nítida”, frisa Márcia Bogoni. Ela contou sobre os medos em levar o filho para a escola regular e depois descobriu o quanto os demais colegas e familiares demonstram carinho e proporcionam a inclusão dele no grupo. 

Avaliação - A coordenadora do Cipe, Nilmara das Neves Martins, ficou surpresa com o forte engajamento de pais, de colaboradores, de unidades de saúde e também de escolas e centros municipais de educação infantil (Cmeis) na campanha. “É muito importante esse envolvimento para trabalharmos o respeito, acima de tudo com o respeito às diferenças. Hoje nossa causa é em relação ao Dia Internacional da Síndrome de Down, mas acima de tudo, ao respeito às diferenças, ao respeito entre os colegas, entre as crianças aqui, pois eles podem levar essa mensagem para as famílias e para a sociedade. Isso é importante para o Down porque eles estão na sociedade, nas escolas, eles vão para o mercado de trabalho e podem estar em todos os lugares e  vão se desenvolver como as outras crianças, pois têm capacidade, essa é nossa mensagem, nosso desejo para hoje”, frisa Nilmara. 

Segundo a Secretaria de Desenvolvimento Humano, a campanha teve uma boa adesão em diversos espaços públicos, desde o paço municipal até outras repartições e secretarias. O Movimento Re-Criare Down de Toledo também está organizando o 2º Piquenique no Parque no próximo sábado (23) a partir das 15h no Parque Frei Alceu. A ação é apoiada pela Prefeitura de Toledo e convida a comunidade a desfrutar de momentos de lazer e diversão em alusão ao Dia Mundial da Síndrome de Down.

Síndrome de Down (Trissomia do cromossomo 21)

A Síndrome de Down, condição genética, é causada pela presença de um cromossomo 21 a mais. Apesar de algumas características físicas parecidas, cada pessoa com a síndrome possui um ritmo de desenvolvimento e suas singularidades.

Atualmente o município de Toledo proporciona a inserção de crianças com síndrome de Down por meio de políticas públicas, à exemplo dos atendimentos realizados pela Secretaria de Esportes e Lazer no Programa de Iniciação Motora no Centro Olímpico Arnoldo Bohnen e na Secretaria da Educação, no CIPE, além da inclusão nas salas de aula do ensino comum regular das escolas e centros municipais de educação infantil (cmeis) do município.