Combate à dengue não pode parar: Toledo tem 2.341 casos confirmados da doença

Publicado: Sex, 05/04/2024 17:36
  • Segundo boletim semanal divulgado nesta sexta-feira (5), há 719 pacientes com exames em análise; número de óbitos chegou a 7 e ainda tem 18 sendo investigados
    Segundo boletim semanal divulgado nesta sexta-feira (5), há 719 pacientes com exames em análise; número de óbitos chegou a 7 e ainda tem 18 sendo investigados

 

Os dados do boletim epidemiológico divulgado nesta sexta-feira (5) pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) comprovam que o combate à dengue não pode parar. Desde a última última quinta-feira (28/3), data em que a versão anterior do informativo tinha sido publicada, 242 novos casos da doença foram confirmados em Toledo, passando de 2.099 para 2.341 confirmações (crescimento de 11,53%) no atual ano epidemiológico, iniciado em agosto de 2023.

Quase metade (47,67%) dos casos confirmados estão concentrados em cinco bairros: Europa/América (520), Facchini (181), Panorama (151), Coopagro (143) e Industrial (121). O número de confirmações pode ficar ainda maior, pois há 719 pacientes aguardando resultados de exames. 

Somando os testes que deram positivo, os 1.888 casos descartados e os que estão em análise, chega-se a um total de 4.4948 notificações, que corresponde ao total de pessoas que procuraram os serviços públicos e privados de saúde com sintomas típicos de dengue. 

 

Óbitos

Em relação ao último boletim, o número de vítimas fatais da dengue subiu de 6 para 7, resultando em um índice de letalidade de 0,3%. Além disso, há outros 18 moradores de Toledo cuja causa de morte está sob investigação pelos técnicos do setor de Vigilância Epidemiológica Municipal.

Devido à natureza minuciosa e demorada desse trabalho, e também devido ao aumento da demanda, o tempo para confirmar ou refutar suspeitas de morte por dengue tem aumentado nas últimas semanas, agora levando em média de 10 a 15 dias. Por essa razão, a SMS informa que só emitirá comunicados sobre óbitos por dengue nos boletins epidemiológicos semanais, os quais são publicados às sextas-feiras. “Todos os óbitos que ocorrem em hospitais de Toledo são investigados por nossa equipe, incluindo de pacientes residentes de municípios vizinhos. Atualmente, estamos analisando um total de 30 episódios. Para acelerar esse processo, nosso infectologista foi designado para contribuir com este serviço duas vezes por semana, antes ele ia às segundas-feiras para esta tarefa, que está levando mais tempo do que gostaríamos porque há uma demora na obtenção de documentos e prontuários dos pacientes e também na vinda do exame feito no Lacen [Laboratório Central do Estado do Paraná]”, relata a diretora de Vigilância em Saúde, Juliana Beux Konno.

 

Cuidados

Com o fim de aprimorar o atendimento à população, a SMS está atuando em várias frentes para oferecer um atendimento com mais qualidade à população. Entre outras medidas, está a criação da unidade sentinela na Vila Paulista, que está realizando atendimento exclusivo, de segunda a sábado, das 7h às 19h, a pacientes com sintomas de dengue. 

Também com esta dinâmica, as unidades dos Jardins Panorama, Concórdia e Cosmos estão ficando abertas, de segunda a sexta-feira, até às 21h. Estas estruturas complementam o trabalho que já está sendo realizado, 24 horas por dia e 7 dias por semana, pelo Pronto Atendimento Municipal (PAM/Mini Hospital) Dr. Jorge Milton Nunes e pela Unidade de Pronto Atendimento (UPA) José Ivo Alves da Rocha.

Para dar conta da demanda crescente, a SMS está fazendo remanejamento de equipes e contratação temporária de profissionais. Além disso, não está medindo esforços para reforçar o estoque de insumos (soro de reidratação e medicamentos, por exemplo) bastante utilizados em pacientes com dengue. 

 

Todos podem ajudar

Dessa forma, a SMS, por meio do setor de Controle e Combate às Endemias, reforça o pedido para a população redobrar as ações de combate e prevenção ao Aedes aegypti nos imóveis onde mora e trabalha, impedindo que este se reproduza em locais onde a água pode acumular, tais como vasos, pneus, garrafas, calhas, plantas, entre outros lugares. Também recomenda às pessoas que apresentarem sintomas de dengue a procurarem imediatamente atendimento médico, evitando os quadros mais graves da doença. 

Outro ponto fundamental para frear a disseminação da dengue em nosso município, é a realização das vistorias pelos agentes de combate a endemias (ACEs) nos imóveis. Dessa forma, quando baterem em sua casa, facilite o trabalho deles e siga todas as orientações que forem dadas.