Saúde divulga boletim que confirma 4.960 casos e 24 óbitos causados pela dengue

Publicado: Sáb, 11/05/2024 09:08
  • Das 8.003 notificações registradas, 327 são de pacientes que aguardam resultados de exames; pessoas com sintomas devem buscar atendimento médico o quanto antes
    Das 8.003 notificações registradas, 327 são de pacientes que aguardam resultados de exames; pessoas com sintomas devem buscar atendimento médico o quanto antes

 

É com profundo pesar que a Secretaria de Saúde de Toledo (SMS) confirma, no boletim semanal divulgado nesta sexta-feira (10), a ocorrência de mais três óbitos causados pela dengue. Agora, o município soma 24 vítimas fatais causadas pela doença desde 1º de agosto de 2023, início do atual ano epidemiológico.

Desde o início de abril, a SMS tem feito comunicados sobre óbitos causados pela dengue nos boletins semanais que saem às sextas-feiras. O motivo para isso é a necessidade de padronização no lançamento dos dados, pois os técnicos do setor de Vigilância Epidemiológica Municipal precisam aguardar a documentação que vem dos locais de atendimento (alguns ficam em outros municípios) para fazer a análise da causa-mortis dos pacientes, levantamento minucioso que pode demorar entre 10 e 15 dias para ser concluído.

Dessa forma, seguem abaixo o perfil anonimizado e breve histórico dos pacientes que não resistiram às formas mais graves da dengue:

• 22º óbito – Paciente do sexo feminino, 60 anos, com comorbidades; Início dos sintomas em 14/03/2024, sendo atendida em 17/03/2024, internada em 20/03/20024, transferida para leito hospitalar em Cascavel no dia 22/03/2024, evoluindo a óbito em 25/03/2024;

• 23º óbito – Paciente do sexo masculino, 77 anos, com comorbidades; Início dos sintomas em 25/03/2024, atendimento clínico em 27/03/2024, transferência para leito hospitalar no mesmo dia e falecimento em 28/03/2024;

• 24º óbito – Paciente do sexo feminino, 92 anos, com comorbidades; Início dos sintomas em 09/04/2024, atendimento clínico nos dias 17 e 22/04/2024, transferência para leito hospitalar em 23/04/2004 e falecimento em 25/04/2024.

Dos 24 óbitos registrados, 11 são de pessoas do sexo masculino e 13 do feminino. Deste total, 23 envolveram pacientes com comorbidades e a idade média dos falecidos é de 75,8 anos.

Confirmações – Até às 10h desta sexta-feira (10), o município confirmou 4.960 registros da doença (4.952 autóctones e 8 importados) no atual ano epidemiológico, iniciado em 1º agosto de 2023, quantidade supera a da temporada 2019/2020 (4.758), considerada, até o momento, a epidemia mais grave já vivida por Toledo. A edição mais recente do boletim epidemiológico aponta também que, desde a última edição do boletim, há uma semana, 383 novos casos da doença foram confirmados em Toledo. Os cinco bairros com o maior número de casos são Europa/América (679), Panorama (351), Facchini (337), Coopagro (329) e Centro (315). 

O número de confirmações pode ficar ainda maior, pois há 327 pacientes aguardando resultados de exames. Somando os testes que deram positivo, os 2.716 casos descartados e os que estão em análise, chega-se a um total de 8.003 notificações, que corresponde ao total de pessoas que procuraram os serviços públicos e privados de saúde com sintomas típicos de dengue. 

Todos podem ajudar – Dessa forma, a SMS, por meio do setor de Controle e Combate às Endemias, reforça o pedido para que a população, apesar de as temperaturas estarem diminuindo, mantenha as ações de combate e prevenção ao mosquito nos imóveis onde mora e trabalha, impedindo que este se reproduza em locais onde a água pode acumular, tais como vasos, pneus, garrafas, calhas, plantas, entre outros lugares.  Também recomenda às pessoas que apresentarem sintomas de dengue a procurarem imediatamente atendimento médico, evitando os quadros mais graves da doença. 

Outro ponto fundamental para frear a disseminação da dengue em nosso município, é a realização das vistorias pelos agentes de combate a endemias (ACEs) nos imóveis. Dessa forma, quando baterem em sua casa, facilite o trabalho deles e siga todas as orientações que forem dadas.

Atendimento médico – As pessoas que estiveram com sintomas da dengue (dor de cabeça, no corpo e nas juntas, febre e manchas vermelhas na pele) devem buscar o quanto antes assistência médica nas unidades de saúde mais próxima, no Pronto Atendimento Municipal (PAM/Mini Hospital) Dr. Jorge Milton Nunes ou Unidade de Pronto Atendimento (UPA) José Ivo Alves da Rocha – estas duas atendem 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Em razão da queda na demanda, a unidade sentinela na Vila Paulista que atendia exclusivamente pacientes com sintomas de dengue será desativada nesta sexta-feira. Em breve, o local passará a ser unidade saúde da família (USF) do bairro, finalidade para a qual ela foi construída.