Toledo inicia testes de aplicativo dedicado a agentes de combate a endemias

Publicado: Seg, 06/05/2024 17:12 | Modificado: Ter, 07/05/2024 17:46
  • Em fase de homologação, app “Endemias NaCidade” começou a ser utilizado nesta segunda (6), com visitas realizadas por 5 duplas a imóveis no Jardim Independência
    Em fase de homologação, app “Endemias NaCidade” começou a ser utilizado nesta segunda (6), com visitas realizadas por 5 duplas a imóveis no Jardim Independência
  • Em fase de homologação, app “Endemias NaCidade” começou a ser utilizado nesta segunda (6), com visitas realizadas por 5 duplas a imóveis no Jardim Independência
    Em fase de homologação, app “Endemias NaCidade” começou a ser utilizado nesta segunda (6), com visitas realizadas por 5 duplas a imóveis no Jardim Independência
  • Em fase de homologação, app “Endemias NaCidade” começou a ser utilizado nesta segunda (6), com visitas realizadas por 5 duplas a imóveis no Jardim Independência
    Em fase de homologação, app “Endemias NaCidade” começou a ser utilizado nesta segunda (6), com visitas realizadas por 5 duplas a imóveis no Jardim Independência
  • Em fase de homologação, app “Endemias NaCidade” começou a ser utilizado nesta segunda (6), com visitas realizadas por 5 duplas a imóveis no Jardim Independência
    Em fase de homologação, app “Endemias NaCidade” começou a ser utilizado nesta segunda (6), com visitas realizadas por 5 duplas a imóveis no Jardim Independência
  • Em fase de homologação, app “Endemias NaCidade” começou a ser utilizado nesta segunda (6), com visitas realizadas por 5 duplas a imóveis no Jardim Independência
    Em fase de homologação, app “Endemias NaCidade” começou a ser utilizado nesta segunda (6), com visitas realizadas por 5 duplas a imóveis no Jardim Independência

 

Os agentes de combate a endemias (ACE) de Toledo poderão ter, em breve, uma ferramenta que tornará ainda mais eficiente o trabalho realizado por estes profissionais. Divididos em cinco duplas, eles iniciaram, na tarde desta segunda-feira (6), em imóveis do Jardim Independência, os testes do “Endemias NaCidade”, aplicativo desenvolvido pela DRZ Geotecnologia e Consultoria Ltda. EPP em parceria com a Maptriz Smart City.

De acordo com o geógrafo da DRZ, Lucas Bertacco, a plataforma levou em conta as especificidades do trabalho dos ACEs. “Já temos produtos que trabalham com georreferenciamento, mas precisávamos criar algo que possibilitasse o trabalho offline, em lugares sem internet. Agora, os mesmos dados da ficha de papel podem ser preenchidos no smartphone e enviados para o banco de dados assim que se chegar a um local com sinal”, explica. “Além de fazer com que não se perca mais tempo passando a limpo as informações da ficha para um computador, tudo que é preenchido no ‘Endemias NaCidade’ vai para uma central onde é possível tabular as informações específicas por bairros ou regiões, ou gerais do município inteiro, as quais poderão ser exportadas para os sistemas estadual e federal”, acrescenta.

Antes de irem a campo, os ACEs participaram de um breve treinamento no qual receberam smartphones cedidos pela DRZ durante a fase de testes. “Este grupo que está testando a novidade seguirá a dinâmica em que um da dupla fará a anotação em papel e o outro vai passar os mesmos dados para o smartphone. Ao fim deste período, vamos comparar ambas as informações e conversar com os agentes sobre o que pode ser melhorado antes de todos os agentes terem acesso a esta tecnologia”, detalha Lucas.

O desenvolvimento do “Endemias NaCidade” foi iniciado em novembro do ano passado e é uma extensão de uma parceria mais ampla firmada entre o governo municipal e a DRZ, empresa responsável pela realização do georreferenciamento da cidade e do interior e pela consultoria para a elaboração do Plano Diretor vigente. “Toledo vem trabalhando intensamente no desenvolvimento e uso de tecnologias com objetivo de desburocratizar e dar celeridade aos processos de trabalho locais. O setor de combate a endemias, pela importância e número expressivo de profissionais, foi elencado pela administração pública como local com necessidade de avanço tecnológico imediato”, comenta a diretora de Vigilância em Saúde da Secretaria de Saúde, Juliana Beux Konno.

A diretora comenta que a equipe de ACES está empolgada e envolvida nesse processo. “Assim que forem concluídos os testes, o tempo dos agentes será otimizado, sem falar que será possível analisar os dados coletados com rapidez e confiabilidade. É um um avanço enorme para o setor e logo mais colheremos os frutos desse projeto inovador”, pontua Juliana.