Toledo firma acordo que autoriza guardas municipais a terem porte de arma

Publicado: Ter, 09/05/2023 15:38 | Modificado: Qua, 10/05/2023 17:31
  • Ato realizado na manhã desta terça (9), na Sala de Reuniões do Gabinete do Prefeito, marca início de nova fase dos quase 29 anos de história da corporação
    Ato realizado na manhã desta terça (9), na Sala de Reuniões do Gabinete do Prefeito, marca início de nova fase dos quase 29 anos de história da corporação
  • Ato realizado na manhã desta terça (9), na Sala de Reuniões do Gabinete do Prefeito, marca início de nova fase dos quase 29 anos de história da corporação
    Ato realizado na manhã desta terça (9), na Sala de Reuniões do Gabinete do Prefeito, marca início de nova fase dos quase 29 anos de história da corporação
  • Ato realizado na manhã desta terça (9), na Sala de Reuniões do Gabinete do Prefeito, marca início de nova fase dos quase 29 anos de história da corporação
    Ato realizado na manhã desta terça (9), na Sala de Reuniões do Gabinete do Prefeito, marca início de nova fase dos quase 29 anos de história da corporação
  • Ato realizado na manhã desta terça (9), na Sala de Reuniões do Gabinete do Prefeito, marca início de nova fase dos quase 29 anos de história da corporação
    Ato realizado na manhã desta terça (9), na Sala de Reuniões do Gabinete do Prefeito, marca início de nova fase dos quase 29 anos de história da corporação

 

A Guarda Municipal de Toledo completa 29 anos de criação neste sábado (13), mas o presente já veio hoje. Em ato realizado na Sala de Reuniões do Gabinete do Prefeito, foi assinado acordo de cooperação técnica (ACT nº 28579611/2023) com a Polícia Federal (PF), o qual autoriza integrantes da corporação, devidamente treinados e cumprindo todos os requisitos legais e normativos, a terem o porte de arma de fogo.

A princípio, 47 agentes que realizaram e foram aprovados em curso de formação com 500 horas-aula ministrado pela Polícia Militar do Paraná (PMPR) serão beneficiados pela medida. Em serviço ou à paisana, eles poderão portar o armamento cedido pela Guarda Municipal de Toledo dentro do território estadual.

A possibilidade de portar uma arma era uma antiga demanda de parcela significativa da categoria. Com essa assinatura, a Guarda Municipal encaminhará os agentes considerados aptos na formação à PF para que esta faça o registro de porte institucional em nome deles. Atualmente, já há 20 unidades à disposição dos agentes e, em breve, chegarão mais 100 pistolas doadas pela Guarda Municipal de Curitiba.

Todo este trabalho será supervisionado pela Corregedoria e pela Ouvidoria da própria Guarda Municipal de Toledo, instâncias criadas pelas Leis 2.062/2011 e 2.063/2011, respectivamente, as quais já estão em atuação realizando averiguações e com procedimentos em aberto. Outro diferencial está no fato de que os agentes farão, uma vez ao ano, cursos de reciclagem em tiro com 16 horas/aula, duração bem maior que a exigida pela PMPR: 12 horas-aula.

 

Assinatura

O ACT recebeu as assinaturas do prefeito Beto Lunitti e do superintendente da PF no Paraná, Rivaldo Venâncio. “Na condição de chefe do Executivo e representante do município neste acordo de cooperação técnica, estou convicto de que nossos agentes têm o devido preparo para portarem arma de fogo. Esta não pode ser um símbolo que afasta a Guarda Municipal da população; pelo contrário, tudo aquilo que tem sido feito no auxílio do cidadão deve ser mantido”, recomenda. “Eu confio na corporação, pois ela sabe que qualquer uso indevido deste armamento será implacavelmente punido, sem complacência da minha parte”, assegura o gestor, que lembrou-se de Arthur Rodrigues de Almeida (in memoriam), ex-secretário responsável por iniciar o processo de incluir a Guarda Municipal de Toledo entre as forças de segurança autorizadas a utilizar arma de fogo.

A fala do secretário de Segurança e Mobilidade Urbana e comandante da Guarda Municipal de Toledo, Christian Guilherme Goldoni, que é major da reserva remunerada da Polícia Militar, também foi neste sentido. “Alguns dos nossos agentes terão uma arma no coldre com a reta intenção de nunca precisar usá-la. Contudo, eles estão orientados a fazer uso dela como último recurso. Afinal, nossa corporação foi e, a partir de agora, é ainda mais o primeiro muro que protege a população da criminalidade”, comenta.

Em nome dos colegas, o agente Paulo Júnior Cesário Vaz, agradeceu o empenho da administração municipal para que os guardas municipais de Toledo pudessem ter porte de arma. “Ingressei na corporação em 1º de julho de 1994 e nunca imaginei que este momento chegaria antes de eu me aposentar. Nesses quase 29 anos passamos por muitos altos e baixos, mas somos muito gratos aos prefeitos e aos secretários de segurança que comandaram a tropa neste período pelo zelo que tiveram com a Guarda Municipal de Toledo, em especial a esta gestão, que viabilizou a formação e foi atrás de todo o trâmite necessário para mais este avanço importante da nossa categoria”, destaca.

 

Legislativo

O ato foi prestigiado por sete vereadores (Dudu Barbosa [presidente da Câmara], Leoclides Bisognin, Marly Zenete, Marcelo Marques, Gabriel Baierle, Damião Santos e Roberto Souza), que puderam fazer uso da palavra. “Fui secretário de segurança em 2015 e 2016 e sou o único vereador da atual legislatura que participou do processo de criação da Guarda, lá em 1994. Eu acompanhei a evolução da corporação e percebo que hoje ela é valorizada tanto pela população quanto pela gestão municipal, o que fica demonstrado neste ato”, avalia Leoclides. “A Guarda Municipal sempre realizou um bom trabalho, mas agora, com o porte de arma de alguns agentes, poderá realizar um trabalho ostensivo de qualidade ainda maior”, salienta Gabriel. “Toledo tem a tradição de sair na frente em diversas políticas públicas. Na área de segurança, o momento que a corporação vive ocorre justamente quando o governo federal decide incluir as guardas municipais no sistema nacional de segurança pública”, observa Roberto. “Este era um dia esperado por muita gente, especialmente pela população do interior. Infelizmente, é ela que acaba sofrendo com a ação de criminosos quando a cidade está bem protegida. Dessa forma, já deixo o pedido para que a Guarda Municipal se utilize da estrutura que já foi um dia o destacamento da Polícia Militar em Novo Sarandi. Se isso acontecer, a segurança dos distritos aumentará consideravelmente”, analisa Marly. “O porte de arma para os agentes da Guarda significa mais tranquilidade para o cidadão e mais medo para a criminalidade agir”, pontua Marcelo. “Sempre defendi o armamento das forças de segurança, especialmente da Guarda Municipal. Este ato me deixa muito satisfeito, pois os agentes agora estarão seguros para poderem oferecer segurança à comunidade”, relata Damião. “A assinatura deste acordo de cooperação técnica resulta da confiança que a administração pública tem na Guarda Municipal e sobretudo da coragem e vontade política de mudar algo que perdurava há tanto tempo. Os governos federal e estadual têm suas ações de segurança pública, mas é no município que se percebe os problemas e é justo que as prefeituras também participem delas. A de Toledo não se furtou desse debate e agora vemos as transformações acontecerem”, salienta Dudu.