Sanção de lei garante benefício aos servidores da alta complexidade do SUAS

Publicado: Ter, 14/03/2023 14:21 | Modificado: Qua, 15/03/2023 17:37
  • Sanção de lei garante benefício aos servidores da alta complexidade do SUAS. (Carlos Rodrigues/Prefeitura de Toledo)
    Sanção de lei garante benefício aos servidores da alta complexidade do SUAS. (Carlos Rodrigues/Prefeitura de Toledo)
  • Sanção de lei garante benefício aos servidores da alta complexidade do SUAS. (Carlos Rodrigues/Prefeitura de Toledo)
    Sanção de lei garante benefício aos servidores da alta complexidade do SUAS. (Carlos Rodrigues/Prefeitura de Toledo)
  • Sanção de lei garante benefício aos servidores da alta complexidade do SUAS. (Carlos Rodrigues/Prefeitura de Toledo)
    Sanção de lei garante benefício aos servidores da alta complexidade do SUAS. (Carlos Rodrigues/Prefeitura de Toledo)
  • Sanção de lei garante benefício aos servidores da alta complexidade do SUAS. (Carlos Rodrigues/Prefeitura de Toledo)
    Sanção de lei garante benefício aos servidores da alta complexidade do SUAS. (Carlos Rodrigues/Prefeitura de Toledo)
  • Sanção de lei garante benefício aos servidores da alta complexidade do SUAS. (Carlos Rodrigues/Prefeitura de Toledo)
    Sanção de lei garante benefício aos servidores da alta complexidade do SUAS. (Carlos Rodrigues/Prefeitura de Toledo)

 

Aproximadamente 70 servidores municipais lotados nas Casas Abrigo Menino Jesus I e II, Casa Abrigo para Adolescentes, na Casa de Passagem e na Residência Inclusiva celebraram, na segunda-feira (13), um grande avanço. Por meio da Lei Nº 2.558/2023, sancionada pelo prefeito Beto Lunitti em ato com a presença dos coordenadores dos cinco espaços, os cargos efetivos receberão o Adicional pela Prestação de Serviços de Alta Complexidade do Sistema Único de Assistência Social (SUAS). A ação atenderá também os trabalhadores da nova casa abrigo em processo de implantação. 

O valor, já incorporado ao próximo vencimento de forma proporcional, será de R$ 516,58 e corresponde a 20% do valor da Referência “A” do Padrão 6 da Tabela A-1. “É um momento para comemorar uma luta iniciada ainda durante sua primeira gestão prefeito [Beto Lunitti] entre os anos de 2013 e 2016. É um forma de valorizar esses servidores e servidoras que se dedicam a cuidar de pessoas que saíram de ambientes muito difíceis, de abandono, maus tratos, entre tantas outras situações e que necessitam muito mais que um lugar para ficar, de carinho, atenção e amor”, disse a secretária da Assistência Social, Solange Silva dos Santos Fidelis. A diretora do Departamento de Proteção Social Especial de Alta Complexidade, Marília Borges Leite, também participou do evento.  

Durante o encontro, realizado na sala de reuniões do Gabinete no Prefeito, Lunitti destacou a importância destes serviços em prol das quase 100 pessoas inseridas nos Serviços de Acolhimento Institucional. “Vocês cuidam dos filhos e filhas do nosso município. A gente queria, na verdade, que não precisássemos ter estas casas, porém elas são necessárias e queremos dar a quem está acolhido todas as condições de uma vida digna, zelando pela sua alimentação, segurança, entre outras situações pertinentes para a promoção da vida”. 

Beto ainda agradeceu ao empenho dos diversos setores da Prefeitura na elaboração do projeto de lei, em especial a Secretaria de Recursos Humanos, e a Câmara de Vereadores. “Não mediram esforços para concretizar isso. Reconhecimento especial à secretária de Recursos Humanos, Marta Fath, e também aos representantes do Legislativo Municipal. Na reunião ordinária que tivemos nesta manhã (13) eu agradeci também por entenderem a amplitude dessa ação”, acrescentou. 

Após, os coordenadores das unidades de alta complexidade trouxeram relatos emocionados do dia a dia dos espaços. A coordenadora da Casa Abrigo Menino Jesus I, Andreia Miranda dos Santos Trindade, relatou a transformação observada na vida de crianças e adolescentes. “Elas chegam carregadas de histórias difíceis e que são mudadas pela atuação dos servidores municipais. Para nós, mesmo sabendo que é um momento de transição, nos dedicamos a eles como filhos e filhas. É possível, na rotina diária, ver seus avanços e sorrisos se abrindo. Muitos passaram por lá e após vários anos quando nos encontram demonstram carinho. É uma troca que faz bem para a gente também”, concluiu.