jose.seide 12 de Setembro de 2022 at 17:25h

Gestor da Unicamp vem a Toledo conhecer o programa “Aluno Conectado”

O gestor de Inovação e Tecnologia para Cidades Inteligentes, da Universidade Estadual de Campinas (Larcom/Unicamp), Luciano Eduardo Caciato, esteve em Toledo nesta segunda-feira (12) com o objetivo de conhecer a rede municipal de ensino, sobretudo o programa “Aluno Conectado” Em sua agenda, encontros com representantes do primeiro escalão do poder público local na Sala de Reuniões do Gabinete do Prefeito (durante a tradicional reunião com os secretários realizada nas manhãs de segunda) e com a equipe técnico-pedagógica da Secretaria Municipal da Educação (Smed), além de visitas às escolas Vereador José Pedro Brum (Caic/Jardim Maracanã), Amélio Dal Bosco (Jardim La Salle) e Miguel Dewes (Distrito de Dez de Maio).

 

Luciano veio à Capital Paranaense do Agronegócio com o objetivo de avaliar a possibilidade de uma das melhores instituições de ensino superior do mundo ser parceira de Toledo em ações de formação docente que visam colocar a tecnologia a serviço do aprendizado dos alunos de escolas públicas que oferecem o Ensino Fundamental I/Séries Iniciais, tornando a aprendizagem de conteúdos letivos mais inovadora e atraente para as crianças. Para isso, o governo municipal está investindo mais de R$ 30 milhões na aquisição de tablets (um por aluno), notebooks (um por professor) e smart TVs (uma por sala de aula), bem como na implantação de internet de alta qualidade e laboratórios de robótica em todas as 36 instituições da rede municipal de ensino cujos laboratórios de informática estão sendo totalmente reformulados.

 

O professor, que atua no Laboratório de Redes de Comunicações da Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (Larcom/Feec), da Unicamp, ficou animado com a realidade que conheceu. “Estou apaixonado por Toledo, pois percebo aqui um município com múltiplas possibilidades para a implementação de novas tecnologias. Há alguns anos oferecemos para vários entes do poder público e empresas o ‘X-Saber’, uma plataforma desenvolvida na Flórida e trazida ao Brasil pela Unicamp. Para Toledo estamos dispostos a oferecer uma nova versão deste sistema, sendo o primeiro município do Brasil a utilizá-lo”, pontua. “O novo X-Saber oferece um maior protagonismo ao professor, pois parte da compreensão, construída ao longo dos anos, de que as coisas realmente funcionam somente quando este profissional ‘compra a ideia’ e coloca a ‘mão na massa’. Por meio da ‘gamificação’ (colocar os conteúdos letivos em formato de jogos virtuais) e outros recursos, existe um manancial de inovações pedagógicas, as quais serão potencializadas por meio da criação, pelo próprio professor, de games que visam reforçar o conteúdo das aulas”, exemplifica.

 

Luciano destaca que a proposta da Unicamp tem caráter permanente e duradouro. “É um projeto de longo prazo, que precisa transcender as questões relacionadas a mandatos, eleições e posições políticas de quem ocupar a cadeira de prefeito. Os resultados do ‘Aluno Conectado’ só poderão ser percebidos daqui alguns anos, a partir da formação de crianças que se tornarão cidadãos melhores a partir da difusão do conhecimento de uma maneira que seja atrativa para elas, com ferramentas que sejam condizentes à forma como elas pensam e percebem o mundo, a qual é bem diferente da nossa”, comenta. “A tecnologia na educação é um caminho sem volta. Por isso, aconselho meus colegas professores a enfrentarem esta realidade, apropriando-se dela antes que o medo relacionado ao assunto os domine”, acrescenta.

 

Nas reuniões e nas visitas às escolas, Luciano foi acompanhado pela secretária da Educação, Marli Gonçalves Costa; pelo chefe de Gabinete, Márcio Antônio “Pena” Borges; e pelo diretor-executivo da Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico de Toledo (Funtec), Carlos Alberto Nascimento. No encontro na Smed, a titular da pasta falou a respeito do andamento do “Aluno Conectado” e anunciou  que, a partir da semana que vem, começam a ser instalados os kits para os laboratórios de robótica em 17 escolas municipais e que, até esta data, todos os professores de escolas municipais terão em mãos os notebooks adquiridos pelo programa, o qual fará ainda a compra de mais 500 unidades deste equipamento para professores de centros municipais de educação infantil (Cmeis).

 

Em sua fala, Marli destacou o fato de Toledo estar criando um ecossistema tecnológico na educação, tanto em questões pedagógicas quanto administrativas. “Estamos buscando soluções para as rotinas extraclasse, tornando a aplicação dos recursos públicos nesta área mais eficazes. É uma realidade que está sendo construída gradativamente, com os professores e servidores do quadro geral participando efetivamente, como protagonistas do processo, tendo domínio, coragem e segurança acerca desta nova realidade. Sem isso, será impossível ele desenvolver todas as potencialidades que o ‘Aluno Conectado’ oferece”, comenta. “Na escola ou aqui na Smed, todos educam: do zelador à secretária. Quem vive o dia a dia da educação sempre pode e deve contribuir com suas opiniões para a realização de melhorias. O poder público caminha na direção de modernizar todos os processos, integrando processos e permitindo que cada um, dentro da parte que lhe cabe, possam ter uma melhor compreensão do todo”, analisa a secretária, que justificou as escolha pelas escolas visitadas em virtude de sua localização geográfica: uma em área central (Amélio Dal Bosco), uma no interior (Miguel Dewes) e outra numa área com altos níveis de vulnerabilidade social (Caic).

 

Falando em nome do prefeito Beto Lunitti, o chefe de Gabinete destacou a grandeza do programa “Aluno Conectado” para a História do município. “Este é um projeto que consta no plano de governo apresentado nas eleições e eleito pelas urnas, um sonho antigo do chefe do Executivo que está se tornando realidade e tem um potencial de deixar um enorme legado para Toledo, algo que irá muito além do término deste mandato. Sei que todos estão focados em suas demandas diárias, que não são poucas, mas peço para que vejam este programa com um certo distanciamento para entenderem sua grandeza”, observa. Estamos promovendo uma disrupção em uma metodologia convencional que vem sendo colocada em prática por 150 anos e a pandemia veio para mostrar como é importante o emprego da tecnologia no processo ensino-aprendizagem”, salienta.